Teste às SYMFONISK: colunas com qualidade Sonos, mas a preços do Ikea

A notícia de que a Sonos se ia aliar ao Ikea para fazer chegar ainda mais longe as suas colunas foi recebida com entusiasmo. Agora que elas já estão à venda fica a pergunta: será que o preço mais baixo compensa?

Há anos que a Sonos é sinónimo de qualidade (e de liderança do mercado) no que diz respeito a soluções de colunas sem fios espalhadas por casa. O problema tem sido o preço. É verdade que há alguns modelos mais em conta, mas a regra tem sido: quem quer comprar uma coluna Sonos tem de gastar centenas de euros.

Uma regra que acaba de mudar. Com o lançamento das SYMFONISK passa a ser possível aceder à tecnologia da Sonos por €99.

Pena é que essa redução no custo também implique alguns sacrifícios.

Na prática, as SYMFONISK são duas colunas que pertencem à mesma família. Uma é de prateleira e a outra é um candeeiro. O que acontece é que nas famílias nem sempre está tudo bem a toda a hora. E aqui também é assim. Já explico.

Para que servem?

Mais do que um sistema de altíssima fidelidade, estas colunas devem ser entendidas como postos de escuta espalhadas pela casa. Uma no quarto, outra no escritório, uma na copa e talvez duas na sala de estar. O que a tecnologia da Sonos permite é pôr a mesma música a tocar de forma sincronizada em todas as colunas lá de casa. Ou então só em algumas. Ou músicas diferentes em toda a casa. Fazem-no bem, e de forma muito fácil.

E funciona não apenas através da tecnologia da Sonos, mas também da Airplay 2 para quem tiver iPhones e Macs. Mas há mais: quem usar, por exemplo, o Spotify também pode tirar partido de tudo isto, seja a partir do smartphone Android, seja a partir do PC Windows.

Um primeiro problema

Os níveis de compatibilidade são imensos mas falham num ponto. Todas estas colunas são mono. E porque a música é estéreo, haverá alturas em que se pretende juntar duas no mesmo compartimento e ouvir música dessa forma. Até aqui, tudo bem a configuração também é simples. Mas... têm de ser colunas sejam iguais: ou dois candeeiros SYMFONISK ou duas colunas de prateleira. Não dá para fazer misturas no estéreo.

Na qualidade do som não é igual entre ambas

Quanto à qualidade de som, há que dizer que há diferenças evidentes entre os dois modelos. O som das SYMFONISK de prateleira não é tão definido. Isso é muito evidente nos graves. Já o candeeiro é capaz de debitar graves a sério. Não é imaginação de quem está a ouvir: eles estão mesmo lá. E são bem límpidos e bem definidos. Na outra coluna já não é bem assim. Nessa quase que parece que somos nós que temos de imaginar que os graves lá estão, tal é a timidez do altifalante.

No entanto, por 99 euros, estamos a falar de uma qualidade de som muito interessante. Só que o candeeiro é melhor.

Um dado que também se reflete no preço. O candeeiro custa 179 euros. E não é apenas porque vem com uma lâmpada de intensidade fraquinha e um abajur.

Tecnologias interessantes para daqui a nada

Note-se: nenhuma delas é uma coluna-inteligente. Não têm um microfone e portanto não dá para comunicar diretamente com elas pela voz. Apesar disso, as SYMFONISK são compatíveis com a tecnologia Alexa, a assistente pessoal da Amazon, e com o Google Assistant e aceitam essas instruções, desde que elas sejam envidas, por exemplo, a partir de um telemóvel.

Pena é que para nós, nem a Alexa, nem o Assistente da Google estão a funcionar (em português de Portugal). A boa notícia é que não tarda nada e isso vai deixar de ser assim. A meio de setembro teremos novidades lá para os lados da Google. Ainda nada é oficial, mas tudo se está a compor para o anúncio ser feito.

E assim, daqui a um mês e uns dias estas colunas vão ser ainda mais reativas às vontades dos seus utilizadores. Mas repete-se o aviso: esses comandos terão sempre de ser dados através de um outro equipamento.

Engageya Widget 1

Engageya Widget 2

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de