Já temos um iPhone 11 Pro: conheça as primeiras impressões

Os iPhone 11 Pro são a nova coqueluche da marca fundada por Steve Jobs. Como noutras alturas, as opções estéticas são polémicas. Mas que tal é ter o telefone nas mãos?

Para quem há uns anos deixou de querer ter aquilo que a Apple tem vindo a lançar (estou a falar de mim) este telefone é um bálsamo. À primeira vista parece, novamente, não ser nada de mais. Quando se abre a caixa, com todo aquele vidro a olhar de volta para nós, a impressão não é a melhor.

Mas quando lhe pegamos, tudo muda. Veja o vídeo em baixo.

Apesar de ser mais pesado do que aparentava à primeira vista, o que rapidamente se torna evidente é que é bastante confortável na mão e que não tem tendência para escorregar. A garantir essa comodidade e esse efeito está, na parte de trás, um acabamento que não só lhe dá um ar fosco, ou baço, mas também lhe confere uma textura que o torna antiderrapante.

É aí, na parte de trás, que está o ponto para onde todos os olhos confluem: o sistema de três câmaras que a Apple decidiu evidenciar trocando a textura mate, por uma outra totalmente oposta: lisa e transparente. O choque é muito evidente e propositado. São muitos os que não gostam do resultado final, não faço parte desse grupo. Antes pelo contrário. Gosto cada vez mais.

Ainda sobre essas três câmaras traseiras, pode-se sublinhar que um delas é uma ultra grande-angular, com campo de visão de 120° e um outro sensor é uma teleobjetiva capaz de fazer zoom ótico de 2x. Falta ainda falar da lente principal (entre essas três) que tem uma abertura máxima de f/1.8. Na América, quem já testou diz que o sistema de câmaras dos iPhone 11 Pro é excelente. Não só nas fotos, como também nos vídeos. Um dado a comprovar nos próximos dias.

À frente o destaque nos novos iPhone 11 Pro vai para o ecrã de 5,8", mas não só. O entalhe no topo da tela e a moldura à volta do ecrã, tanto nos lados como nos topos sao muito evidentes. Demasiado evidentes para um topo de gama nascido na segunda metade de 2019.

Lá dentro, há um novo processador, o A13, desenvolvido pela própria Apple e também três configurações em termos de espaço de armazenamento: 64GB (€1179), 256GB (€1349) e ainda uns generosos 512GB (€1579).

Sim, os preços são muito elevados. Talvez seja essa uma das razões que levou a empresa da maçã trincada a pôr no mercado os iPhone 11 (sem pro no nome) que começam nos €829 e que, por exemplo, têm apenas duas lentes traseiras.

Estas são as primeiras impressões, em breve teremos por aqui uma análise mais aprofundada.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de