Duque de York anuncia acordo com mulher que o acusava de abuso sexual

Os advogados não revelam os termos do acordo.

Os advogados do príncipe André de Inglaterra, Duque de York, anunciaram esta terça-feira que alcançaram "um acordo de princípio" com Virgina Giuffre, a mulher que o denunciou nos Estados Unidos por abuso sexual quando era menor de idade.

Numa carta endereçada ao juiz Lewis A. Kaplan, os advogados não revelam os termos do acordo, mas pedem-lhe que "suspenda todos os prazos" do julgamento, que tinha início previsto para o próximo outono, embora não houvesse uma data definida.

Na carta assinada por David Boies, advogado do príncipe britânico, filho da rainha Isabel II, a sua equipa de defesa informa o juiz de que vai apresentar um pedido de arquivamento do caso no prazo de 30 dias.

O juiz Kaplan tem agora o poder de arquivar o caso, bem como de manter secretos os termos do acordo extrajudicial.

Este juiz já rejeitou, em dezembro, o arquivamento do caso em resposta a um pedido da defesa assente num acordo assinado por Giuffre (que agora tem 38 anos e reside na Austrália) e pelo falecido magnata norte-americano Jeffrey Epstein, que foi quem alegadamente apresentou a jovem ao príncipe André.

Por meio desse acordo, assinado em 2009, Giuffre desistia de perseguir judicialmente Epstein "e outros potenciais acusados" pelos casos de abuso sexual, em troca do pagamento de meio milhão de dólares.

O juiz considerou, na altura, que as acusações contra André não eram as mesmas que contra Epstein e que o caso seria julgado noutra jurisdição.

Além disso, argumentou que as únicas pessoas que podem fazer um acordo confidencial são os signatários, requisito que agora se cumpre.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de