Aeroporto de Cabul reabriu. Já partiram primeiros voos para retirar diplomatas e civis

Enquanto os aliados tentam retirar os nacionais que estão no Afeganistão, a Turquia está a construir um muro, na fronteira com o Irão, para travar a chegada de refugiados vindos do Afeganistão.

O aeroporto de Cabul, no Afeganistão, reabriu esta manhã. Os primeiros voos militares para retirar diplomatas e civis partiram ao nascer do dia. A informação foi avançada pelos EUA, que conseguiu controlar o aeroporto, depois das cenas de caos e desespero vividas ontem.

O embaixador norte-americano em Cabul usou a rede social Twitter para deixar um apelo e repor a verdade.

Ross Wilson garante que, ao contrário de informações erradas, ele e os funcionários da embaixada não fugiram do país. Continuam em Cabul, a trabalhar intensamente para ajudar os milhares de cidadãos norte-americanos e afegãos vulneráveis. O embaixador assegura na rede social Twitter que o compromisso com o povo afegão continua.

Ross Wilson pede, no entanto, que ninguém se dirija ao aeroporto até ser notificado pela embaixada. Os voos militares foram retomados esta manhã, para retirar diplomatas e civis.

A calma reina agora, no aeroporto de Cabul, que reabriu pouco depois das 7h30, hora local. Eram 4h30 em Lisboa.

Nas ruas de Cabul, os taliban montaram pontos de passagem. O jornal The Guardian conta que militantes, com armas penduradas nos ombros, estão a patrulhar a antiga zona verde, a zona da cidade onde estava a maioria das embaixadas e organizações internacionais.

O líder dos taliban, Amir Khan Muttaqi, estará em Cabul, para negociar a passagem de liderança.

As conversas devem incluir o antigo presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, e o antigo líder do conselho de reconciliação nacional, Abdullah Abdullah.

Também esta manhã, os taliban anunciaram uma amnistia geral para os funcionários que estavam ao serviço do governo, pedindo que voltem ao trabalho.

Enquanto os aliados tentam retirar os nacionais que estão no Afeganistão, a Turquia está a construir um muro, na fronteira com o Irão, para travar a chegada de refugiados vindos do Afeganistão.

A France Press adianta que, para já, o muro terá cinco quilómetros, mas o objetivo é chegar aos 295 kms de comprimento.

O primeiro-ministro australiano falou entretanto, nas últimas horas, para dizer que já foram retirados 430 militares desde abril. Mas Scott Morrison foi sincero nas palavras dirigidas aos veteranos. Declarou que gostava que fosse diferente, mas, apesar dos esforços, o apoio não vai chegar a todos aqueles que precisam.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de