Autocarros que iam retirar civis de Mariupol retidos em posto de controlo russo

Ministra ucraniana diz que há ainda 100 mil pessoas ainda a precisar de sair da cidade.

A ministra ucraniana para a Reintegração dos Territórios Temporariamente Ocupados, Iryna Vereshchuk, alertou esta quinta-feira para a retenção, num posto de controlo russo em Vasylivka, de um grupo de autocarros em missão humanitária com destino a Mariupol.

"A nossa função é a de abrir corredores humanitários e ajudar as pessoas a sobreviver, especialmente civis - mulheres, crianças e os mais velhos", alertou a ministra Iryna Vereshchuk citada pela edição internacional da CNN.

"Às 12h30 (10h30 em Lisboa), 45 autocarros deixaram Zaporizhzhia rumo a Berdiansk. Neste momento estão no posto de controlo de Vasylivka e os russos não estão, novamente, a deixar passar os nossos autocarros. Uma vez mais, exigimos que toda a comunidade internacional concentre a sua atenção e ajude as pessoas a saírem da cidade ocupada de Mariupol", explica Vereshchuk.

Segundo a ministra, cerca de 100 mil pessoas que precisam de ser retiradas de imediato ainda estão na cidade que, antes da guerra, tinha mais de 400 mil habitantes.

"São mais 100 mil mulheres, crianças, velhos e pessoas com deficiência que precisam da nossa ajuda e da do mundo", insistiu a governante. Mariupol está cercada pelos russos desde o final de fevereiro e tanto quem já escapou da cidade como as ONG lá presentes descrevem a cidade como estando completamente arrasada.

ACOMPANHE AQUI TUDO SOBRE A GUERRA NA UCRÂNIA

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de