Banco do BCP na Polónia com prejuizos de 181,2 milhões de euros nos primeiros nove meses do ano

A entidade bancária diz ainda que a nova produção de crédito hipotecário atingiu os 7,0 mil milhões de zlótis, 1,5 mil milhões de euros, um aumento de 50% em termos homólogos

O Bank Millennium S.A., detido pelo BCP na Polónia, teve prejuízos de 181,2 milhões de euros nos primeiros nove meses do ano, segundo os dados comunicados à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Em comunicado enviado à CMVM, o Banco Comercial Português S.A., que detém 50,1% do capital do Bank Millennium S.A., explica que o resultado foi "influenciado por provisões relacionadas com riscos legais associados à carteira de créditos hipotecários concedidos em moeda estrangeira no montante total de 1.573 milhões de zlótis (346,3 milhões de euros)2.

Deste total de créditos hipotecários concedidos em moeda estrangeira, 1.424 milhões de zlótis (313,5 milhões de euros) são atribuíveis à carteira de créditos hipotecários concedidos pelo Banco e 149 milhões de zlótis (32,8 milhões de euros) relacionadas com a carteira do Euro Bank.

Segundo a nota, excluindo provisões e outros custos relacionados com a carteira de créditos hipotecários concedidos em moeda estrangeira, o resultado líquido atingiu 803 milhões de zlótis (176,7 milhões de euros) nos primeiros nove meses do ano, um crescimento de 51,5%.

O BCP explica que as provisões relacionadas com riscos legais associados a empréstimos concedidos em moeda estrangeira ascenderam nos primeiros nos meses do ano a 1.424 milhões de zlótis (313,5 milhões de euros), excluindo empréstimos originados pelo Euro Bank, "aumentando o nível de provisões acumuladas para 20,3% do valor da carteira de créditos hipotecários concedidos em moeda estrangeira pelo Bank Millennium".

A entidade bancária diz ainda que a nova produção de crédito hipotecário atingiu os 7,0 mil milhões de zlótis (1,5 mil milhões de euros), um aumento de 50% em termos homólogos, enquanto os 'cash loans' aumentaram 20% em termos homólogos.

O comunicado refere ainda que, nos primeiros nove meses do ano, os proveitos operacionais diminuíram 1,2%, em termos homólogos, que a margem financeira caiu 0,6%, em termos homólogos, "refletindo o impacto da redução das taxas de juro em 2020", e que as comissões aumentaram 11,3% relativamente ao período homólogo.

Os custos operacionais diminuíram 9,5%, em termos homólogos, devido aos "menores custos relacionados com contribuições regulamentares e iniciativas de corte de custos".

Na área do retalho, o Bank Millennium S.A. viu crescer o número de clientes ativos, que são agora 2,66 milhões, enquanto os depósitos subiram 4,9% em termos homólogos e o crédito a retalho subiu 7,2% (18,6%, excluindo crédito hipotecário concedido em moeda estrangeira).

O banco atingiu um novo recorde de produção de 'cash loans' no 3.º trimestre de 2021 de 1,6 mil milhões de zlótis (0,3 mil milhões de euros), um aumento de 30% em termos homólogos e de 20% na nova produção de 'cash loans' no conjunto dos primeiros nove meses do ano.

As informações enviadas à CMVM indicam ainda que a quota de mercado na nova produção de créditos hipotecários nos primeiros nove meses do ano é de 12,2% e que o número de clientes microempresas ativos subiu em 9 mil, em termos homólogos, ultrapassando os 111,5 mil.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de