Boris Johnson admite ter ido a festa polémica durante o confinamento e pede desculpa

Boris Johnson esteve presente na festa que decorreu em maio, numa altura em que a população britânica estava confinada. O primeiro-ministro britânico garante que saiu ao fim de 25 minutos e que inicialmente pensava que se tratava de uma reunião em contexto de trabalho.

Boris Johnson admite agora que esteve presente numa festa a 20 de maio em Downing Street e que pensava inicialmente que se tratava de uma reunião de trabalho. O primeiro-ministro do Reino Unido aproveitou ainda para pedir desculpas, depois de ter dirigido algumas palavras em tributo a ​​​​​​​Jack Dromey, o antigo ministro britânico do Trabalho que morreu esta semana.

Boris Johnson assume que há motivos para pedir desculpa, uma vez que muitas pessoas têm feito "sacrifícios extraordinários durante os últimos 18 meses", ao "não poderem fazer o luto como queriam aos seus familiares, ao serem privadas de viverem as suas vidas como queriam". O líder do Governo britânico diz ainda compreender a "revolta" que os cidadãos poderão sentir ao verem que o Executivo e o primeiro-ministro falharam em cumprir as regras, adianta o jornal The Guardian.

Apesar de ainda desconhecer os resultados do inquérito iniciado, Boris Johnson admite estar consciente de que "algumas coisas simplesmente não foram feitas corretamente".

"Tenho de assumir responsabilidades", declarou.

O primeiro-ministro britânico acrescenta que Downing Street é "um grande complexo", e que, quando foi ao jardim, a 20 de maio, quando ainda decorria o confinamento geral, pensava que estava a aceder a um evento de trabalho. Johnson garante ter saído ao fim de 25 minutos, mas reconhece que poderia ter precipitado o fim da festa e não o fez.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de