Brasil soma 377 mortos e 13.439 infetados em 24 horas

São Paulo é o foco da pandemia no país, com 937.332 infetados.

O Brasil contabilizou 377 mortos e 13.439 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas, informou hoje o Ministério da Saúde, acrescentando que investiga a possível ligação de 2.428 óbitos com a doença.

O país sul-americano totaliza agora 137.272 vítimas mortais e 4.558.068 casos de infeção, quando a taxa de letalidade da doença se encontra fixada em 3%.

Já a taxa de incidência da covid-19 no Brasil é agora de 65,3 mortes e de 2.169,0 casos por cada 100 mil habitantes.

Por outro lado, um consórcio formado pela imprensa brasileira, que colabora na recolha de informações junto das secretarias de Saúde estaduais, indicou que o país registou mais 455 óbitos e 15.821 novos infetados nas últimas 24 horas.

No total, o consórcio constituído pelos principais media do Brasil revelou que o país contabiliza 4.560.083 casos e 137.350 mortos, desde o início da pandemia, registada no país em 26 de fevereiro.

No Brasil, país lusófono mais afetado pela pandemia, mas também uma das nações com maior número de recuperados - 3.887.199 de pessoas diagnosticadas conseguiram curar-se da covid-19 -, 533.597 pacientes infetados encontram-se sob acompanhamento médico.

Geograficamente, os estados com maior número de infetados são São Paulo (937.332), que é o foco da pandemia no país, Bahia (295.996), Minas Gerais (271.194) e Rio de Janeiro (252.046).

No topo da lista das unidades federativas com maior número de óbitos estão São Paulo (33.984), Rio de Janeiro (17.727), Ceará (8.834) e Pernambuco (8.016).

O governador de São Paulo, João Doria, afirmou hoje que haverá doses da vacina em quantidade suficiente para imunizar toda a população estadual até fevereiro de 2021, que é de cerca de 46 milhões de pessoas.

"Teremos a vacina para atender a totalidade da população de São Paulo já ao final deste ano e ao longo dos dois primeiros meses de 2021. Temos de finalizar a terceira etapa de testagem, esperando que tudo continue a correr bem e teremos a aprovação final da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa)", indicou o governador.

Doria anunciou que cinco milhões de doses da vacina Coronavac contra a covid-19, que está a ser desenvolvida pela empresa chinesa Sinovac, chegarão ao país até outubro próximo.

"Ainda no me^s de outubro receberemos as primeiras cinco milho~es de doses da Coronavac. Ate´ dezembro, ja´ teremos 46 milho~es de doses da vacina em São Paulo. Importante ressaltar que o acordo com a Sinovac inclui a transferência de tecnologia para Sa~o Paulo, sendo assim, tambe´m produziremos a vacina no Instituto Butantan", escreveu o governador nas suas contas nas redes sociais.

"Uma grande conquista para o Brasil. Os testes continuam com os me´dicos e enfermeiros volunta´rios em seis estados e, em breve, se tudo correr como planeado, poderemos imunizar milho~es de brasileiros", acrescentou.

A pandemia de covid-19 já provocou pelo menos 961.531 mortos e mais de 31,1 milhões de casos de infeção em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Recomendadas

Patrocinado

Apoio de