Bruxelas aprova injeção do Governo alemão na Lufthansa

Companhia aérea alemã vai receber apoio de 6 mil milhões de euros e mais 3 mil milhões em empréstimos.

A Comissão Europeia aprovou, esta quinta-feira, o resgate financeiro do Governo alemão à Lufthansa, para impedir que a companhia aérea entre em falência.

As instâncias europeias decidiram permitir uma injeção de 6 mil milhões de euros na companhia alemã e um empréstimo com garantia estatal de 3 mil milhões de euros.

"Esta quantidade substancial de apoios irá ajudar a Lufthansa perante a crise do coronavírus, que atingiu fortemente em particular o setor aéreo", declarou a comissária europeia Margrethe Vestager, citada pela AFP.

O processo será financiado pelo Fundo de Estabilização Económica, criado pela Alemanha para prestar apoio financeiro às suas empresas afetadas pela pandemia da Covid-19.

A ajuda chega, contudo, sob algumas condições: o Estado passa a aumentar a sua participação na empresa (passando a deter 20% do capital social) e a Lufthansa terá de abdicar de faixas horárias (os chamados 'slots') nos aeroportos de Frankfurt e Munique, para assegurar a justa concorrência.

"Isto dá às transportadoras aéreas concorrentes a oportunidade de entrar nesses mercados, garantindo preços justos e uma maior escolha para os consumidores europeus", esclareceu Margrethe Vestager.

Notícia atualizada às 9h25

LEIA TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Recomendadas

Patrocinado

Apoio de