Bruxelas atualiza previsões económicas ainda sob a sombra da pandemia

Estas previsões são animadas pela perspetiva de os primeiros desembolsos do fundo de recuperação acordado há um ano pelos líderes europeus para superar a crise provocada pela pandemia estarem prestes a chegar ao terreno.

A Comissão Europeia atualiza esta quarta-feira as suas previsões económicas para a União Europeia, com a pandemia da Covid-19 ainda presente, mas com os primeiros fundos do pacote de recuperação prestes a chegar aos Estados-membros.

O executivo comunitário publica esta quarta-feira as previsões intercalares de verão - que abrangem apenas projeções para a evolução do Produto Interno Bruto (PIB) e inflação -, numa altura em que a Europa procura recuperar alguma 'normalidade', aliviando restrições face à progressão da campanha de vacinação, mas com a estirpe Delta do coronavírus SARS COV-2 a suscitar inquietações, já em plena época turística.

Se, por um lado, as variantes da Covid-19 representam um risco negativo para a recuperação da economia europeia, por outro, estas previsões são animadas pela perspetiva de os primeiros desembolsos do fundo de recuperação acordado há um ano pelos líderes europeus para superar a crise provocada pela pandemia estarem prestes a chegar ao terreno.

Na próxima semana, o Conselho Ecofin deverá aprovar um primeiro pacote de 12 planos de recuperação e resiliência (PRR), entre os quais o de Portugal, o que permitirá o desembolso, possivelmente ainda este mês, de 13% dos montantes de fundos a que cada Estado-membro tem direito, e até ao final de julho deverá celebrar-se nova reunião para a adoção de mais planos.

A chegada dos primeiros fundos do Mecanismo de Recuperação e Resiliência deverá refletir-se nas previsões publicadas esta quarta-feira pelo executivo comunitário, que, nas anteriores, as da primavera - publicadas em 12 de maio - já revira em alta o ritmo da recuperação da economia europeia, estimando para este ano um crescimento de 4,3% na zona euro e de 4,2% na União (no inverno antecipava subidas de 3,8% e 3,7%, respetivamente), e de 4,4% em ambas em 2022.

Já relativamente a Portugal, nas previsões divulgadas há menos de dois meses, a Comissão reviu em baixa o crescimento económico esperado para este ano, apontando para 3,9%, quando em fevereiro estimava 4,1%.

O Governo português mantém oficialmente a previsão de um crescimento do PIB de 4% este ano, embora, em entrevista à Lusa, no final de maio, o ministro das Finanças, João Leão, tenha admitido a expectativa de que a economia portuguesa cresça até 1 ponto percentual acima deste valor - ou seja, até aos 5% -, mas isto antes de a situação pandémica ter voltado a agravar-se em Portugal.

As previsões económicas de verão da Comissão Europeia serão apresentadas pelo comissário da Economia, Paolo Gentiloni, numa conferência de imprensa em Bruxelas, às 11h00 locais (10h00 de Lisboa).

LEIA TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de