Bruxelas já concedeu 48,5 mil milhões a nove países em pré-financiamento da recuperação

A porta-voz dos assuntos económicos e financeiros do executivo comunitário, Veerle Nuyts, espera que a Comissão Europeia continue com o "desembolso de pré-financiamento a outros Estados-membros ao longo do mês de setembro".

A Comissão Europeia já avançou com 48,5 mil milhões de euros para nove Estados-membros da União Europeia (UE) de pré-financiamento das verbas da recuperação pós-crise da Covid-19, incluindo Portugal e esta quinta-feira a Alemanha, antevendo mais desembolsos em setembro.

"Até ao momento, a Comissão Europeia já concedeu 48,5 mil milhões de euros a nove Estados-membros em pré-financiamento", anunciou hoje a porta-voz dos assuntos económicos e financeiros do executivo comunitário, Veerle Nuyts, falando na conferência de imprensa diária da instituição, em Bruxelas.

"Esperamos continuar com o desembolso de pré-financiamento a outros Estados-membros ao longo do mês de setembro", acrescentou Veerle Nuyts.

No início de agosto, a Comissão Europeia desembolsou 2,2 mil milhões de euros a Portugal referente ao pré-financiamento de 13% do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), num montante global de 16,6 mil milhões de euros, aprovado no mês anterior.

Esta quinta-feira, a Comissão Europeia desembolsou 2,25 mil milhões de euros para a Alemanha em pré-financiamento, o equivalente a 9% da dotação financeira do PRR do país.

"Estes pagamentos de pré-financiamento ajudarão a dar início à implementação das medidas cruciais de investimento e reforma delineadas no PRR da Alemanha", adiantou Veerle Nuyts à imprensa.

Além de Portugal (2,2 mil milhões) e da Alemanha (2,25 mil milhões), estes nove Estados-membros que já dispõem de verbas iniciais para suportar a recuperação pós-crise da Covid-19 são Luxemburgo (12,1 milhões), Bélgica (770 milhões), Grécia (quatro mil milhões), Itália (24,9 mil milhões), Lituânia (289 milhões), Espanha (nove mil milhões) e França (5,1 mil milhões).

Portugal foi o primeiro Estado-membro a entregar formalmente em Bruxelas o seu plano nacional para aceder aos fundos do Mecanismo de Recuperação e Resiliência -- elemento central do pacote "NextGenerationEU" acordado na UE para superar a crise da Covid-19 -- e o primeiro a vê-lo aprovado, sendo também dos primeiros países a receber verbas.

Na altura, o executivo comunitário sublinhou que "este pagamento contribuirá para lançar a aplicação das medidas essenciais em matéria de investimento e de reforma delineadas no plano de recuperação e resiliência de Portugal", representando um "momento histórico na execução do PRR" português.

O PRR português, que recebeu 'luz verde' da Comissão em 13 de junho e foi formalmente aprovado pelo Conselho Ecofin exatamente um mês depois, tem um valor global de 16,6 mil milhões de euros, designadamente 13,9 mil milhões de euros em subvenções a fundo perdido e 2,7 mil milhões empréstimos em condições favoráveis.

Até ao final do ano, a Comissão tenciona mobilizar um montante total máximo de 80 mil milhões de euros, sob a forma de financiamentos a longo prazo a ser complementados por obrigações a curto prazo da UE, com vista a financiar os primeiros desembolsos aos Estados-Membros projetados no âmbito do instrumento "NextGenerationEU".

As verbas vão financiar o Mecanismo de Recuperação e Resiliência, avaliado em 672,5 mil milhões de euros (a preços de 2018) e elemento central do "NextGenerationEU", o fundo de 750 mil milhões de euros aprovado pelos líderes europeus em julho de 2020 para a recuperação económica da UE da crise provocada pela pandemia de Covid-19.

Atualmente, 16 países da UE têm já os seus PRR aprovados para aceder às verbas pós-crise da Covid-19, devendo os desembolsos de pré-financiamento prosseguir ao longo do mês de agosto.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de