EMA inicia avaliação de vacina produzida a partir de vírus inativo

É a única vacina com base em vírus inativado candidata a utilização e em fase de ensaios clínicos na Europa.

A Agência Europeia do Medicamento (EMA, na sigla inglesa) anunciou esta quinta-feira que está a avaliar a vacina da farmacêutica Valneva contra a Covid-19, a única com base em vírus inativo.

A decisão da EMA de iniciar uma revisão contínua da nova vacina baseia-se em resultados preliminares de estudos laboratoriais (dados não clínicos) e em estudos clínicos iniciais em adultos e que sugerem que esta desencadeia a produção de anticorpos contra o coronavírus SARS-CoV-2, que causa a Covid-19, e pode ajudar a proteger contra a doença.

A Valneva é uma empresa biotecnológica europeia com sede em França que desenvolve uma vacina produzida a partir do vírus, sujeito a desativação química.

Trata-se de uma tecnologia vacinal tradicional, utilizada há mais de 60 anos, com métodos estabelecidos e um elevado nível de segurança, sendo esta a tecnologia utilizada na maioria das vacinas contra a gripe e muitas vacinas infantis.

Atualmente, é a única vacina com base em vírus inativado candidata a utilização e em fase de ensaios clínicos na Europa.

A Comissão Europeia assinou em novembro um contrato, o oitavo, de aquisição em 2022 de quase 27 milhões de doses desta potencial vacina para a Covid-19.

O contrato com a Valneva vem ampliar a carteira de vacinas já garantidas, que inclui contratos assinados com a AstraZeneca, a Sanofi-GSK, a Janssen Pharmaceutica NV, a BioNtech-Pfizer, a CureVac, a Moderna e a Novavax.

A Covid-19 provocou pelo menos 5.214.847 mortes em todo o mundo, entre mais de 262,26 milhões infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

Em Portugal, desde março de 2020, morreram 18.458 pessoas e foram contabilizados 1.151.919 casos de infeção, segundo dados da Direção-Geral da Saúde.

A doença é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China.

Uma nova variante, a Ómicron, foi recentemente detetada na África do Sul.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A COVID-19

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de