Empresa que apoia navio encalhado no Canal do Suez diz que "a parte mais difícil vem agora"

A proa do porta-contentores Ever Given continua "completamente bloqueada", diz o diretor executivo da Royal Boskalis.

O diretor executivo da Royal Boskalis, sociedade holandesa mandatada para ajudar a libertar o porta-contentores que impede a passagem de navios no Canal do Suez, indicou esta segunda-feira que ainda falta o trabalho mais difícil para desencalhar o Ever Given.

"A boa notícia é que a popa está desencalhada, mas isso era o que pensávamos ser o mais simples. A parte mais difícil vem agora", disse Peter Berdowski à rádio pública holandesa.

O porta-contentores Ever Given, que está a obstruir o Canal do Suez, penalizando o tráfego marítimo mundial desde a semana passada, encontra-se "na boa direção" de acordo com a Autoridade do Canal do Suez (SCA) referindo-se a uma rotação de 80% efetuada durante a madrugada.

Mesmo assim, as operações continuam no sentido de desencalhar totalmente o navio de grande porte, propriedade de uma empresa de Taiwan e com pavilhão do Panamá.

A proa do porta-contentores continua "completamente bloqueada", disse o diretor executivo da Boskalis, a empresa principal da companhia holandesa Smit Salvage.

"Não se pode 'cantar vitória antes do tempo'. O facto de ter girado foi a parte mais fácil", acrescentou Berdowski, acrescentando que fazer flutuar totalmente o navio, de 220 mil toneladas e com um comprimento correspondente a quatro campos de futebol, é o "mais difícil".

"Isto não é fácil", disse.

O Ever Given atravessou-se na diagonal quando passava no Canal do Suez bloqueando completamente uma das passagens marítimas mais movimentadas do mundo.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de