Israel discute normalização de relações com vários dirigentes árabes

Netanyahu garante que já falou com responsáveis do Sudão, Chade e Omã.

Responsáveis israelitas têm mantido conversações com dirigentes árabes e muçulmanos para uma normalização das relações diplomáticas, afirmou este domingo o primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, duas semanas depois do anúncio do acordo com os Emirados Árabes Unidos.

Netanyahu precisou já ter falado com responsáveis do Sudão, Chade e Omã, contactos que "não foram publicitados".

"Mas há muito mais encontros não mediatizados com líderes árabes e muçulmanos para normalizar as relações", acrescentou, numa conferência de imprensa em Jerusalém, ao lado do conselheiro da Casa Branca e genro de Donald Trump, Jared Kushner.

Israel e os Emirados Árabes Unidos anunciaram, a 13 de agosto, um acordo histórico de normalização das relações, que faz dos Emirados o primeiro Estado árabe a estabelecer relações diplomáticas com Israel em mais de 20 anos, depois do Egito (1979) e da Jordânia (1994).

"Os avanços de hoje serão a norma de amanhã, vão abrir caminho a outros países que querem normalizar as suas relações com Israel", disse ainda o primeiro-ministro israelita.

Jared Kushner qualificou o acordo com os Emirados de "passo de gigante" para a paz no Médio Oriente.

Jared Kushner, o presidente do Conselho Nacional de Segurança de Israel, Meir Ben-Shabbath, e o conselheiro para a segurança nacional dos Estados Unidos, Robert O'Brien, estão entre os responsáveis israelitas e norte-americanos que, na segunda-feira de manhã, vão viajar a bordo do "primeiro voo comercial direto" entre Telavive e Abu Dhabi.

Recomendadas

Patrocinado

Apoio de