Japão vai alargar e reforçar medidas sanitárias à maior parte do país

Um novo máximo de infeções foi registado em todo o país na sexta-feira passada. Devido a esta vaga de casos, o sistema hospitalar japonês está "numa situação grave".

O Japão prepara-se esta quarta-feira para estender à maior parte do território medidas sanitárias já em vigor em algumas zonas do país, para tentar conter a propagação da covid-19.

Um total de 33 das 47 prefeituras do Japão, incluindo Tóquio, que acolhe os Jogos Paralímpicos, serão agora afetados, de acordo com uma lista aprovada por uma comissão de peritos de saúde e que deverá ser formalmente adotada e anunciada pelo Governo ainda esta noite.

O país tem vindo a sofrer uma quinta vaga da covid-19 desde finais de junho, a mais violenta até agora, agravada pela propagação da variante delta, mais contagiosa.

Um novo máximo de infeções foi registado em todo o país na sexta-feira passada (quase 25.900 casos em 24 horas), enquanto em Tóquio a média de sete dias de casos diários da doença aumentou mais de cinco vezes em seis semanas.

Devido a esta vaga de casos, o sistema hospitalar japonês está "numa situação grave", disse o ministro responsável pela luta contra a pandemia, Yasutoshi Nishimura.

Dois tipos de medidas estão em vigor desde julho.

A principal, o estado de emergência, que será alargado de 13 para 21 prefeituras, permite ao Governo pedir a bares e restaurantes que fechem mais cedo e não sirvam álcool, e à população para evitar saídas desnecessárias. No entanto, estas ordens estão longe de ser estritamente aplicadas.

O Governo está também a planear pedir aos centros comerciais e grandes lojas que reduzam o acesso aos clientes presenciais, e às empresas que utilizem o teletrabalho para reduzir em 70% as deslocações dos funcionários.

Nishimura pediu aos governadores de todas as prefeituras afetadas que trabalhassem imediatamente para reforçar os sistemas médicos através da criação de clínicas de oxigénio ou da garantia de que dispõem de pessoal médico suficiente.

As medidas postas em prática nas escolas serão reforçadas, com a distribuição de 'kits' de testes à covid-19, a partir do início de setembro, acrescentou.

Desde o início da pandemia, o país contabilizou 15.723 mortes e 1.345.887 casos.

Quase 42% da população japonesa está já totalmente vacinada. A covid-19 provocou pelo menos 4.439.888 mortes em todo o mundo, entre mais de 212,4 milhões de infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

Em Portugal, desde março de 2020, morreram 17.658 pessoas e foram contabilizados 1.022.807 casos de infeção confirmados, segundo dados da Direção-Geral da Saúde.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em países como Reino Unido, Índia, África do Sul, Brasil ou Peru.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de