Líderes da UE dizem que Kremlin será "responsabilizado" pelos seus atos

O presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, adianta que a UE "vai pedir contas ao Kremlin". A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, condena "veementemente o ataque injustificado da Rússia à Ucrânia".

Os líderes da União Europeia Charles Michel e Ursula von der Leyen advertiram esta quinta-feira o Kremlin que este será "responsabilizado" pelos seus atos depois de a Rússia lançar uma operação militar contra a Ucrânia.

Os líderes da UE devem encontrar-se esta quinta-feira numa cimeira em Bruxelas às 20h00 (19h00 em Lisboa), já depois de Moscovo ter sido avisado sobre o endurecimento das sanções europeias caso a Rússia atacasse a Ucrânia.

"Vamos pedir contas ao Kremlin", escreveram o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, e a presidente da Comissão Europeia, Úrsula von der Leyen, numa publicação conjunta na rede social Twitter.

"Condenamos veementemente o ataque injustificado da Rússia à Ucrânia. Nestas horas escuras, os nossos pensamentos estão com a Ucrânia e as mulheres, homens e crianças inocentes que enfrentam este ataque não provocado e temem pelas suas vidas", acrescentaram.

As primeiras sanções da UE entraram em vigor na quarta-feira à noite contra Moscovo, em reação ao reconhecimento da independência dos territórios separatistas na Ucrânia oriental, na segunda-feira.

As medidas atingiram um total de 23 "figuras de destaque", incluindo o ministro da Defesa, Sergei Shoigu, e chefes militares russos, bem como três bancos, uma empresa e 351 membros da câmara baixa da Assembleia Federal russa.

As sanções europeias consistem numa proibição de viajar e num congelamento de bens na UE.

ACOMPANHE AQUI A ESCALADA DE TENSÃO ENTRE A RÚSSIA E A UCRÂNIA

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de