Mais de 200 passageiros do último voo com origem em Maputo testados em Lisboa

Todos os passageiros vão ter de cumprir um isolamento de 14 dias. Resultados dos testes não serão conhecidos este sábado.

Os 262 passageiros do último voo da TAP, proveniente de Maputo, que aterrou este sábado em Lisboa vão ser sujeitos a testes à Covid-19 no âmbito das medidas de prevenção e combate à nova variante Ómicron. As ligações aéreas com Moçambique vão ficar suspensas a partir de segunda-feira.

Em declarações aos jornalistas no Aeroporto Humberto Delgado, o coordenador do gabinete de crise do INEM, Bruno Borges, deu conta de que este voo aterrou às 18h41 e, por volta das 19h20, já tinham sido "colhidas as amostras biológicas de dez passageiros".

Além de serem testados, todos os passageiros deste voo têm de cumprir 14 dias de isolamento profilático, pelo que vão ser notificados pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) nesse sentido.

Depois de recolhidas todas as amostras, os testes vão ser entregues ao Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA), mas os resultados "não vão ser conhecidos" ainda este sábado.

Qualquer resultado positivo, garantiu Bruno Borges, será comunicado através dos "procedimentos habituais" pelas autoridades portuguesas.

Nesta operação estão envolvidos, além do INEM e do SEF, a Polícia de Segurança Público, o supervisor do aeroporto, que "garante o apoio à saúde", e diversos ministérios do Governo português em articulação. O objetivo das autoridades é garantir que os passageiros "estejam no aeroporto o menor tempo possível".

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de