Mais de 200 sintomas. OMS já tem definição médica para a "Covid longa"

Fadiga, falta de ar e disfunção cognitiva são apontados como sendo os sintomas mais comuns na definição desta doença.

A Organização Mundial de Saúde já tem uma definição médica oficial para a chamada "Covid longa", a doença de quem sofre sequelas depois da cura do coronavírus. O resultado é de uma investigação dirigida por investigadores espanhóis, que definiram um quadro de mais de 200 sintomas atribuídos à infeção por Covid.

Os sintomas estendem-se por, pelo menos, dois meses e não podem ser explicados como tendo origem numa outra doença. Assim, e por exclusão de partes, os investigadores presumem que estas sejam sequelas do coronavírus. A fadiga, a falta de ar e a disfunção cognitiva são apontados como sendo os sintomas mais comuns na definição da doença.

Citado pelo jornal espanhol El País, o epidemiologista que dirigiu a investigação diz que já foram identificados mais de 200 sintomas associados à "Covid longa", mas que o número ainda pode vir a subir. Para o investigador, perceber quais as sequelas que ficam depois de uma infeção por coronavírus é importante porque "facilita o acelerar de diagnósticos e as situações de baixa por doença".

Estes dados fazem parte de um estudo conduzido pela Organização Mundial de Saúde, que contou com a participação de mais de 260 pessoas. As crianças não foram incluídas nesta análise.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A COVID-19

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de