Nigéria destrói mais de um milhão de vacinas fora de prazo

O chefe da Agência Nacional para o Desenvolvimento dos Cuidados de Saúde Primários da Nigéria garante que as vacinas em causa foram doadas por países desenvolvidos quando estavam prestes a expirar.

A Nigéria destruiu esta quarta-feira cerca de um milhão de doses expiradas da vacina da AstraZeneca contra a Covid-19, apesar de o país atravessar um pico de infeções e de ter quase duplicado a taxa de vacinação na última semana.

As doses expiradas - 1.066.214 no número exato - foram destruídas na capital da Nigéria, Abuja, uma semana depois de o país ter dito que não aceitará mais doações de vacinas anti-Covid-19 com curta duração.

Faisal Shuaib, chefe da Agência Nacional para o Desenvolvimento dos Cuidados de Saúde Primários da Nigéria, afirmou que o país foi colocado numa situação difícil por países desenvolvidos que "adquiriram estas vacinas e as armazenaram (e) no momento em que estavam prestes a expirar, ofereceram-nas para doação", segundo a agência Associated Press.

A vacinação está também a ganhar terreno no país mais populoso de África, que estabeleceu um ambicioso objetivo de vacinar completamente 55 milhões dos seus 206 milhões de cidadãos antes de fevereiro de 2022, embora apenas 2% tenham recebido as suas duas doses.

O país está a passar por um pico de infeções confirmadas, com um aumento de 500% no número de casos nas últimas duas semanas.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de