Putin acusa Ucrânia de atrasar negociações

O Kremlin afirma que a delegação ucraniana continua a apresentar propostas irrealistas.

Vladimir Putin acusou, esta sexta-feira, Kiev de estar a "atrasar" as negociações de paz entre a Ucrânia e a Rússia, avança a AFP. Durante uma conversa com o chanceler alemão Olaf Scholz, Putin garantiu, no entanto, que Moscovo está pronto para procurar soluções para o conflito.

"Foi notado que o regime de Kiev está a tentar, de todas as formas possíveis, atrasar as negociações, avançando com mais e mais propostas irrealistas", declarou o Kremlin.

"Ainda assim, o lado russo está pronto para continuar a procurar soluções em linhas com os seus conhecidos princípios", acrescentou.

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, afirmou que a conversa por telefone entre Putin e Scholz foi "dura" e declarou que ainda é cedo para falar de um acordo que os negociadores russos e ucranianos possam assinar.

"Só posso afirmar que a delegação russa está a mostrar vontade de trabalhar muito mais rápido", afirmou Peskov, "infelizmente, a delegação ucraniana não está pronta para acelerar o ritmo das conversações".

Putin disse ainda a Scholz, de acordo com o Kremlin, que está "a fazer o seu melhor" para salvar civis através de corredores seguros, nomeadamente com a evacuação de 43 mil pessoas da cidade de Mariupol.

Depois de Scholz, Putin irá também falar, esta sexta-feira, com Emmanuel Macron.

A Rússia lançou, a 24 de fevereiro, uma ofensiva militar na Ucrânia que já causou pelo menos 780 mortos e 1.252 feridos, incluindo algumas dezenas de crianças, e provocou a fuga de cerca de 5,2 milhões de pessoas, entre as quais mais de 3,1 milhões para os países vizinhos, segundo os mais recentes dados da ONU.

A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas e políticas a Moscovo.

ACOMPANHE AQUI TUDO SOBRE O CONFLITO ENTRE A RÚSSIA E A UCRÂNIA

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de