Rússia considera "prematura" a realização de uma cimeira entre Biden e Putin na Ucrânia

"Falar sobre planos concretos para a organização de cimeiras é prematuro", referiu Dmitri Peskov, o porta-voz do Kremlin.

O Kremlin considerou esta segunda-feira "prematuro" falar de uma cimeira entre os presidentes russo, Vladimir Putin, e norte-americano, Joe Biden, anunciada pela França para neutralizar a crise russo-ocidental em torno da Ucrânia e o perigo de uma invasão russa.

"Existe um entendimento de que devemos continuar o diálogo no nível de ministros (estrangeiros). Falar sobre planos concretos para a organização de cimeiras é prematuro", disse aos repórteres o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov.

Os líderes da Rússia, Vladimir Putin, e dos Estados Unidos, Joe Biden, concordaram "em princípio", no domingo, com a realização de uma cimeira sobre a segurança, proposta pelo presidente da França, Emmanuel Macron.

A Presidência francesa indicou num breve comunicado que, em sucessivas conversas telefónica com os dois líderes, Macron propôs que uma cimeira sobre segurança e estabilidade estratégica na Europa seja realizada, primeiro entre Putin e Biden, "e depois com todas as partes envolvidas".

A Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) convocou para esta segunda-feira segunda-feira uma reunião extraordinária dos seus 57 países membros para discutir a escalada de tensão militar entre a Rússia e a Ucrânia, anunciou domingo o representante polaco da organização.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de