Sala 317: Netanyahu senta-se este domingo no banco dos réus

É a primeira vez, em Israel, que um chefe de governo em exercício de funções se senta no banco dos réus. O tribunal Distrital de Jerusalém começa a julgar Bibi Netanyahu por fraude e corrupção.

Bancos corridos de madeira castanha. Sala 317. Não é sala de aulas, mas o protagonista é acusado de muito mau comportamento... é a sala de tribunal onde começa a ser julgado Benjamin Netanyahu, o primeiro primeiro-ministro de Israel, em funções, a sentar-se no banco dos réus.

O primeiro-ministro israelita Benjamin Netanyahu deve comparecer na abertura do processo de corrupção contra ele instaurado pela Procuradoria-Geral do país. Netanyahu tinha solicitado dispensa, apesar do parecer do próprio Ministério da Justiça ter exigido depoimento presencial.

Como a opinião do ministério não tem força de lei, o Tribunal de Magistrados Distrital de Jerusalém cita uma cláusula na lei do país de que "uma pessoa só pode ser julgada sob acusação criminal em sua presença".

Na audiência deste domingo deve ser feita a leitura da acusação, um painel de 3 juízes vai perguntar a Bibi Netanyahu, o político mais influente do país nas ultimas décadas, se leu a acusação contra ele e se está consciente das graves alegações que a acusação contém.

Benjamin Netanyahu foi indiciado em novembro por corrupção, fraude e quebra de confiança em três casos diferentes. Um deles, chamado "4000" ou "Bezeq", o nome de uma empresa de telecomunicações, é particularmente sensível para o chefe do governo: a justiça suspeita que Netanyahu fez favores do governo que poderiam ter gerado milhões de dólares para o chefe da empresa Bezeq em troca de uma cobertura favorável de um dos meios de comunicação pertencentes ao grupo, o portal Walla.

O primeiro-ministro, que recebeu a luz verde do Parlamento para um governo de unidade nacional juntamente com o antigo rival eleitoral Benny Gantz, faz precisamente este domingo oito dias, declara-se inocente nos vários casos e insiste que tudo não passa de uma conspiração.

Recomendadas

Patrocinado

Apoio de