Talibãs já conquistaram 19 capitais provinciais no Afeganistão

O Presidente afegão, Ashraf Ghani, informou este sábado que está a desenvolver contactos políticos com vista a restabelecer a "paz e estabilidade" no país.

O número de capitais provinciais afegãs sob o domínio dos talibãs subiu este sábado para 19, após os rebeldes terem conquistado Qalat, capital de Zabul, enquanto atacavam a província vizinha de Kandahar, foi anunciado.

"A cidade de Qalat [...] foi capturada durante a conquista de Kandahar. O gabinete do governador, o quartel-general da polícia, o centro de inteligência e todas as instalações da cidade foram capturadas", disse o porta-voz dos talibãs, Zabihullah Mujadih, através de uma publicação na rede social Twitter.

Após a conquista, "os soldados deixaram as armas e juntaram-se aos mujahideen [como os talibãs se autodenominam]", acrescentou Mujadih.

Nas últimas horas, os talibãs já tinham entrado na cidade de Sharana, capital da província de Paktika.

A queda de Qalat e Sharana ocorre num contexto do avanço imparável dos talibãs que, após a fase final da retirada de solo afegão das tropas dos EUA e da NATO do Afeganistão, aumentaram as suas ofensivas.

Nos últimos três meses e meio, os rebeldes assumiram o controlo de 140 centros distritais, mais de metade das capitais de província - 19 de um total de 34 - e quase dez passagens de fronteira, a maior conquista territorial em duas décadas de guerra.

O Presidente afegão, Ashraf Ghani, informou este sábado que está a desenvolver contactos políticos com vista a restabelecer a "paz e estabilidade" no país, onde os talibãs têm vindo a conquistar terreno numa ofensiva contra as forças afegãs.

"Iniciei consultas", que "estão a avançar rapidamente", dentro do governo, com líderes políticos e com parceiros internacionais, para encontrar "uma solução política em que a paz e a estabilidade sejam proporcionadas ao povo afegão", disse Ghani, numa declaração transmitida pela televisão, a primeira desde os grandes avanços das forças rebeldes nos últimos dias.

"A remobilização das nossas forças de segurança e defesa é a nossa prioridade número um", acrescentou.

O Conselho de Segurança das Nações Unidas já manifestou a sua preocupação com a escalada da violência no Afeganistão na sequência da ofensiva militar lançada pelos talibãs e instou os rebeldes e o Governo a negociar.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de