Trump diz que tiroteio junto à Casa Branca não teve a ver com ele

Interrupção abrupta da conferência de imprensa, por um agente, que conduziu Donald Trump para a Sala Oval, durou pouco tempo.

O incidente que ocorreu na segunda-feira nas proximidades da Casa Branca, que levou o Presidente norte-americano a interromper uma conferência de imprensa, por iniciativa do Serviço Secreto, não deve ter tido nada a ver com ele, admitiu o próprio.

A interrupção abrupta da conferência de imprensa, por um agente, que conduziu Donald Trump para a Sala Oval, durou pouco tempo.

Ao regressar, Trump disse que a polícia tinha disparado sobre alguém, já a caminho do hospital, o qual, pelo que tinha percebido, estava armado.

O facto de o incidente ter ocorrido no espaço público, frente à barreira de segurança da Casa Branca, levou-o a acrescentar: "Possivelmente, não teve nada a ver comigo".

Questionado, no regresso, sobre se estava abalado, Trump respondeu: "Abalado? (...) O mundo sempre foi um local perigoso. Isto não foi nada de especial".

Disse ainda se sentia em segurança com o Serviço Secreto: "São pessoas fantásticas. Os melhores dos melhores", afirmou dos agentes desta agência que garante a segurança do Presidente e de outros políticos norte-americanos.

O tiroteio ocorreu nas proximidades da Rua 17 e da Avenida Pensilvânia, a alguns quarteirões da Casa Branca, e ainda não estão apurados os motivos do suspeito.

Este foi transportado para um hospital local. Os bombeiros do departamento do Distrito de Columbia adiantaram que o homem estava com ferimentos sérios e eventualmente críticos.

As autoridades estavam a investigar se o homem tinha alguma história de problemas mentais.

Recomendadas

Patrocinado

Apoio de