Vespas asiáticas gigantes chegaram aos EUA. Ninho destruído após meses de buscas

Se todos os insetos não forem mortos a maior vespa do mundo, natural da Ásia, pode fixar-se nos Estados Unidos nos próximos anos.

Foi eliminado pela primeira vez nos Estados Unidos um ninho de vespa-mandarina, mais conhecida como vespa asiática gigante.

Esta espécie nativa da Ásia oriental foi avistada pela primeira vez no país em dezembro do ano passado e desde aí os especialistas estão a tentar rastreá-la, capturando vespas e usando fio dental para amarrar minúsculos transmissores rádio aos insetos.

O ninho acabou por ser encontrado na semana passada numa propriedade em Blaine, Washington, e destruído por funcionários do departamento de agricultura norte-americano este domingo.

A operação exigiu o uso de usaram equipamentos de segurança e uma espécie de aspirador para capturar as vespas. O ninho foi eliminado com sucesso.

O departamento de agricultura dos EUA acredita, no entanto, que existam mais ninhos. Têm de ser eliminados antes que as vespas asiáticas gigantes se tornem uma praga no país, perigosa para colmeias e humanos.

Os investigadores consultados pela a AFP alertam que se os insetos não forem todos eliminados, nos próximos dois anos podem estar espalhados por todos os estados norte-americanos e fixar-se permanentemente.

Com um comprimento que pode atingir mais de cinco centímetros (no caso de rainhas adultas) e uma largura de asas superior a sete centímetros, esta é a maior vespa do mundo. As suas principais presas são as abelhas comuns, que atacam com uma mandíbula afiada e veneno potente.

Recomendadas

Patrocinado

Apoio de