Destaques

Mais Opinião

Pedro Tadeu
Pedro Tadeu

É sensato demitir a Diretora-Geral da Saúde?

O comentador político e ex-líder do PSD, Marques Mendes, defendeu ontem na SIC a demissão da Diretora-Geral da Saúde, Graça Freitas. A posição é relevante porque dá sequência a uma série de ataques que têm sido feitos à liderança do combate à COVID-19, seja do Governo, seja dos serviços de saúde, com a Ordem dos Médicos a ser a mentora de um processo de tentativa de descredibilização da ministra da Saúde, Marta Temido, em primeiro lugar, e das autoridades que gerem os serviços de saúde, em segundo lugar.

Paulo Baldaia
Paulo Baldaia

O que ajuda é ter estratégia e falar verdade

Não ajuda dizer, num dia, que não haverá confinamento em Felgueiras, Lousada e Paços Ferreira e decretar, no dia seguinte, o dever de confinamento nestes três concelhos. Não ajuda dizer, numa semana, que "é inimaginável" repetir no Natal as medidas "drásticas" adotadas na Páscoa e decretar, na semana seguinte, essas mesmas medidas para o fim de semana dos Finados. Não ajuda avançar com a obrigatoriedade do uso da aplicação StayAway Covid e acabar a sair de esguelha, sem sequer ter avançado rapidamente para a obrigatoriedade que todos querem, a do uso da máscara em espaços públicos, fechados ou ao ar livre. Não ajuda repetir a toda a hora que o Serviço Nacional de Saúde tem todas as condições de combater a pandemia, quando se repete o semi-abandono dos doentes não Covid da primeira vaga.

Raquel Vaz Pinto
Raquel Vaz Pinto

Trump vs. Biden: o último debate

A cidade de Nashville no estado do Tennessee será hoje à noite palco do último debate entre os candidatos à Casa Branca. Há, desde logo, dois pontos que valem a pena ser assinalados. O primeiro está relacionado com o facto de ser o segundo (e não o habitual terceiro) debate. Muitas peripécias depois a decisão de um debate virtual não foi acolhida pelo actual Presidente e o debate de dia 15 acabou por cair. E, em segundo lugar, para evitar a balbúrdia, o caos e a confusão do primeiro «debate» a moderadora poderá desligar o microfone do «outro» candidato nas intervenções iniciais relativas aos seis grandes temas.

Inês Cardoso
Inês Cardoso

Dados pessoais são (e dão) poder

A discussão sobre a obrigatoriedade da app StayAway Covid está, pelo menos por agora, enterrada, mas alguns dos argumentos lançados em torno da privacidade e da (falta de) segurança dos dados pessoais justificariam que o tema se mantivesse à superfície. A discussão não faz sentido para comparar se há aplicações que armazenam muito mais informação do que esta, como argumentam os que consideram legítima a obrigatoriedade. O que está em causa na passagem do uso voluntário a obrigatório, colocando as polícias a fiscalizar telemóveis, toca em liberdades tão fundamentais que desloca a discussão para outro nível, que nada tem a ver com as características da app em si.

Rodrigo Tavares
Rodrigo Tavares

O que uma aplicação de telemóvel diz sobre os portugueses

O ano de 2020 foi marcado pela ingerência do Estado no espaço privado. Durante meses, aceitamos que a Lei adentrasse pelas nossas vidas e suspendesse abruptamente o direito de reunião e manifestação, o direito de deslocação e fixação em qualquer parte do território, o direito de resistência. Consentimos que a legislação regulasse, de forma inédita, algumas glebas da nossa vida familiar, social e profissional.

Paulo Baldaia
Paulo Baldaia

Bazuca contra bazuca

Agora que o Orçamento do Estado entrou na Assembleia da República, vale a pena falar de números e pode estar descansado que eu não vou regressar aos cenários macroeconómicos e às percentagens com que eles se cozinham. Crescimento de 5,5 ou défice de 4% dizem muito pouco ao comum dos mortais, mas se eu lhe disser que, números redondos, entre este ano e o próximo, os défices orçamentais vão obrigar Portugal a endividar-se em mais 20 mil milhões de euros, os números começam a fazer mais sentido.

Raquel Vaz Pinto
Raquel Vaz Pinto

Escravatura moderna e as «filhas descartáveis» do século XXI

Hoje, dia 15 de Outubro, tinha pensado comentar o que poderíamos esperar do segundo debate entre os candidatos à Presidência dos EUA. Como bem sabemos, o debate não se irá realizar e essa ausência reflecte bem os tempos complexos em que vivemos. Para quem acompanha a política internacional, hoje é mesmo um dia estranho. Por isso, decidi olhar para um tema que não debatemos o suficiente e que deveria estar na linha da frente das nossas preocupações: a escravatura moderna.

Inês Cardoso
Inês Cardoso

Regresso às aulas entre a discriminação e a "euforia social"

Dizem as estatísticas da Direção-Geral da Saúde, tratadas pela TSF, que desde o início do ano letivo o número de casos de covid-19 em crianças com menos de 10 anos aumentou 52,7%. As crianças e os jovens até aos 20 anos são as faixas etárias com as maiores subidas desde 13 de setembro. O aumento de casos é inevitável com a reabertura de escolas e universidades, mas continua a haver uma espécie de esquizofrenia e diversidade de procedimentos. Nalguns casos as restrições e exageros roçam a discriminação, enquanto noutros a falta de precaução tem contribuído para acelerar a propagação da doença.

Daniel Oliveira
Daniel Oliveira

OE: As maiorias negoceiam-se, não se exigem

Daniel Oliveira defende que não se constroem maiorias democráticas com chantagens e que, se António Costa escolheu ter um Governo minoritário, tem de procurar aliados com negociações sérias. No espaço de comentário que ocupa semanalmente na TSF, o jornalista afirmou que o Governo de Costa deu um claro sinal de arrogância ao apresentar esta proposta para o Orçamento do Estado de 2021 (OE2021), antes de chegar a qualquer acordo com outros partidos.

Paulo Baldaia
Paulo Baldaia

A Esquerda na lapela e a Direita no bolso

Com os milhões a chegarem de Bruxelas e a urgência de resolver problemas causadas pela pandemia de Covid-19, o Governo quer alterar o regime de contratação pública, aumentando os tetos para que se possam fazer ajustes diretos. Nisto, o anterior presidente do Tribunal de Contas viu riscos de "práticas ilícitas de conluio, cartelização e até mesmo de corrupção". Sabemos agora que o PS não está sozinho e conta com os mesmos de sempre para os momentos difíceis. Não, não estou a falar de Jerónimo de Sousa e Catarina Martins.

Raquel Vaz Pinto
Raquel Vaz Pinto

As fronteiras soviéticas de Vladimir Putin

Ontem, dia 7 de Outubro, Vladimir Putin fez 68 anos. Fui ao site do Kremlin ver os destaques relativos aos parabéns oficiais ao homem forte da Rússia. E, enquanto ia lendo a lista, que não tinha grandes surpresas nem mesmo em relação aos ausentes, fui reforçando a minha perspectiva relativa ao mapa de instabilidade nos vizinhos de Moscovo. Na verdade, nos territórios da antiga União Soviética e que hoje, por um conjunto muito diverso de razões, são focos de conflitos e de protestos.