Cláudia Belchior deixa presidência do Teatro Nacional D. Maria II

Presidente do conselho de administração do Teatro Nacional D. Maria II fala num "fecho de ciclo".

A presidente do conselho de administração do Teatro Nacional D. Maria II, Cláudia Belchior, pediu renúncia do mandato, que terminaria em 2023, por sentir que "foram completados" os objetivos a que se propôs.

A saída de Cláudia Belchior do Teatro Nacional D. Maria II (TNDMII) foi avançada esta quarta-feira pelo jornal Público e confirmada à Lusa pela própria.

"Entendo que o TNDMII não é o mesmo desde antes de 2015 [Cláudia Belchior entrou para o conselho de administração daquele equipamento em 2015, primeiro como vogal, assumindo a presidência um ano depois] e agora, mudou muito. Os grandes objetivos que me foram propostos foram completados", afirmou.

Cláudia Belchior salientou que o TNDMII esta quarta-feira "está mais bem preparado para os desafios futuros, tem uma profissionalização e qualificação do quadro de pessoal muito boa e tem uma modernização de processos administrativos exemplar, em termos de ambiente e de desmaterialização".

"Acho também que a parte laboral e o espírito de equipa estão e foram promovidos de forma certa. Também em termos de mecenato acho que conseguimos atingir um patamar que nunca foi atingido pelo Teatro Nacional, apresentou sempre resultados líquidos positivos", disse, evidenciando que este "não é um trabalho solitário, tem sido feito com os restantes elementos do conselho de administração".

Cláudia Belchior, cujo atual mandato começou no ano passado e terminaria em 2023, fala num "fecho de ciclo", que termina com a concretização dos desafios que lhe foram lançados pela anterior ministra da Cultura, Graça Fonseca, "neste último momento": "a questão do projeto de arquitetura e a consolidação do projeto artístico, com o [diretor artístico] Pedro Penim, para 2023".

"Portanto, eu entendo que os desafios que me têm vindo a ser colocados desde 2015, e para aquilo que na altura fui convidada, primeiro como vogal e depois como presidente, está feito. É um ciclo que para mim chegou ao fim. Entendo que os objetivos foram atingidos e é altura de regressar", reforçou.

Para Cláudia Belchior, "estes cargos de gestão pública não devem ser muito longos". "E eu já estava praticamente no fim do meu terceiro mandato", disse.

Cláudia Belchior irá manter-se como presidente do conselho de administração do TNDMII até 30 de junho. Mas sairá antes, "caso entretanto venha a ser nomeada outra pessoa".

Contactada pela agência Lusa, fonte oficial do Ministério da Cultura referiu que "em breve" será anunciado um novo presidente.

O conselho de administração do TNDMII integra ainda Rui Catarino e Sónia Teixeira. Cláudia Belchior contou que depois regressa à Fundação Centro Cultural de Belém (CCB): "O meu lugar de origem é a Fundação CCB, onde estava antes de ser convidada para aqui".

No entanto, Cláudia Belchior não sabe ainda que funções irá assumir. "Vou ter que conversar com o conselho de administração e farei o que o conselho de administração entender, mas nada disso foi ainda conversado".

Quando saiu do CCB, em 2015, Cláudia Belchior ocupava o cargo de diretora de Artes do Espetáculo da instituição, para onde tinha entrado em 2010.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de