INDEX, em Braga

Começa hoje, quinta-feira 12 de maio, em Braga, INDEX, a primeira edição da bienal de Arte e Tecnologia.

Olhar a tecnologia com pensamento artístico, e onde seja o ponto fulcral de um pensamento critico, Braga é Cidade Criativa da UNESCO para as Media Arts, e esta bienal, para Luís Fernandes, o diretor artístico, compositor e músico, quer celebrar a arte e a tecnologia, numa cidade que pode ser conservadora, mas abre muitas portas à inovação.

Uma bienal que tem na tecnologia o principal motivo, com a arte, mas também a preocupação ecológica ou da preservação de um planeta que precisa tanto da extracção e às vezes é tão dificil conjugar tudo.

Em Montalegre, não muito longe de Braga, está a ser contestada a extração de lítio, mineral que é a matéria prima para as baterias que alimentam muito da nova tecnologia, e esse é um paradoxo, difícil de resolver.

Esta primeira Bienal INDEX de arte e tecnologia, tem como ideia base a noção de superficie, essa metáfora poderosa que tanto pode ser Plataformas visuais ou entidades que se podem tocar, fronteiras ou interfaces, zonas de emergência ou extração.

Index, uma Bienal em primeira edição, para uma abordagem crítica à tecnologia, enquanto não só ferramenta mas elemento central de muitas ideias artísticas, mas também tudo o que implica na sociedade e no planeta.

novas criações, nomes como Florian Hecker, berru, Jonathan Uliel Saldanha, Peter Burr, João Martinho Moura, Tiago Patatas ou Pierce Warnecke & Matthew Biederman com o coletivo nacional Ensemble Supernova. Mas também a estreia em Portugal da conferência performativa "Inside", de Frédérique Aït Touati & Bruno Latour, de obras da autoria de Bethany Rigby, Dele Adeyemo, Ibiye Camp & Dámaso Randulfe, Ginevra Petrozzi, France Jobin & Markus Heckmann, People Like Us ou o espetáculo "Subassemblies" de Ryoichi Kurokawa. No programa de conferências assinala-se a presença de Peter Weibel, diretor do ZKM e figura incontornável da história da media art, bem como Federico Campagna, Michael Marder, Miguel Carvalhais, Virginia Tassinari e Delfina Fantini van Ditmar.

Confirmados estão também os projetos selecionados internacionalmente através de open call. Após o anúncio, em outubro passado, foram submetidas 127 propostas, provenientes de 45 países. No programa são apresentados os projetos "Wander" de Yuqian Sun (China), "Finger Plays" de Matt-Nish Lapidus (Canadá), "Bureau of Cloud Management" de Tong Wu e Yuguang Zhan (EUA/China) e "Para Gardens" de Areej Huniti e Eliza Goldox (Jordânia e Alemanha).

Index, primeira edição da bienal de Arte e Tecnologia, em Braga, de hoje, 12 de maio, até 22 de maio.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de