Técnicos de eventos lamentam proibição de festas de Ano Novo, mas entendem a decisão

Pedro Magalhães, da Associação dos Serviços Técnicos para Eventos, não espera que a retoma chegue antes do verão, apesar da esperança trazida pela vacina contra a Covid-19.

Os técnicos dos eventos entendem, mas lamentam que não haja festas de Ano Novo, devido à Covid-19. António Costa já anunciou que a passagem do ano terá "todas as restrições". O presidente da Associação dos Serviços Técnicos para Eventos, Pedro Magalhães, considera, em entrevista à TSF, que a realização deste tipo de eventos seria a "derradeira oportunidade" depois de um ano muito difícil.

"Foi um ano terrível para o nosso setor. Já houve alguma perda de postos de trabalho, já houve algumas empresas a fechar. Aquilo que nos preocupa é a perda de grande valor, porque as pessoas do nosso setor são altamente qualificadas", adianta Pedro Magalhães.

Pelas contas da associação, cerca de metade dos técnicos de luz, som ou vídeo vai abandonar o setor dos eventos. São cerca de mil pessoas que ou enfrentam o desemprego ou são obrigadas a mudar de profissão.

Pedro Magalhães não espera que a retoma chegue antes do verão, apesar da esperança trazida pela vacina contra a Covid-19.

"Há aqui alguma expectativa que, a partir de março, possa começar a aparecer algum trabalho, mas as melhores previsões para que nós regressemos a alguma normalidade é no verão. Queremos acreditar que ainda se vai conseguir aproveitar o verão do próximo ano", remata.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Recomendadas

Patrocinado

Apoio de