Caixa Geral de Depósitos propõe pagar dividendo adicional de 137,2 milhões de euros ao Estado

O banco público assegura que tem "uma situação financeira robusta".

A Caixa Geral de Depósitos (CGD) propôs entregar ao Estado um dividendo adicional de 137,2 milhões de euros, valor que se soma aos 241 milhões de euros anteriormente anunciados, divulgou esta sexta-feira o banco.

"Nos termos desta proposta a Caixa Geral de Depósitos procederá à entrega ao Estado português, na qualidade de seu acionista único, de um valor total de 378.231.345 euros", referiu a CGD em comunicado.

Após a concretização do pagamento destes dividendos, a CGD totaliza 961,8 milhões de euros devolvidos aos contribuintes, pode ler-se.

O banco público assegurou que tem "uma situação financeira robusta", pelo que a alteração do montante a entregar ao acionista não prejudica a sua capacidade de cumprir com os requisitos legais e regulamentares, designadamente prudenciais, incluindo o MREL (fundos próprios e de passivos elegíveis).

Segundo o banco liderado por Paulo Macedo, a proposta tem também "em consideração as comunicações estabelecidas com as entidades de supervisão sobre esta matéria".

A CGD teve lucros de 146 milhões de euros no primeiro trimestre deste ano, mais 80,5% face ao mesmo período de 2021, divulgou em 12 de maio o banco público.

No primeiro trimestre, a margem financeira aumentou 14,1% para 272,9 milhões de euros e as comissões líquidas cresceram 16,7% para 147 milhões de euros.

Em 2021, a CGD teve lucros consolidados de 583 milhões de euros (mais 18,3% face a 2020) e, segundo a proposta do Orçamento do Estado para este ano, pagou dividendos ao acionista Estado de 383,6 milhões de euros em 2021 (mais de quatro vezes os 83,6 milhões de euros de 2020, num ano em que o Banco Central Europeu pediu precaução aos bancos).

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de