Governo promete apoios a quem viu "desaparecer tudo" em incêndio de Castro Marim

O Ministério da Agricultura prometeu ajudas às pessoas que perderam tudo nos incêndios em Castro Marim. Combatido o fogo no concelho, Tavira e Vila Real de Santo António estão agora a ser afetados pelas chamas.

O Ministério da Agricultura já prometeu apoios a quem foi atingido pelos fogos que começaram em Castro Marim e que já chegaram a Tavira e Vila Real de Santo António.

As mais de 60 pessoas que foram retiradas "estão a regressar às suas casas", depois de terem estado numa unidade de cuidados continuados no Azinhal. "Passámos por momentos muito difíceis, muito complicados, mas agora as coisas já estão melhores. O incêndio encaminha-se para Tavira." A descrição é feita pelo presidente da Cãmara Municipal, Francisco Amaral.

Não há já nenhum incêndio ativo em Castro Marim, mas o sufoco fez-se sentir por dias. Na localidade de Pisa Barro, "foi a própria população que defendeu as próprias casas e que permitiram que o incêndio lá entrasse, foram uns heróis de facto", salienta o autarca.

"O pior já passou", garantiu à TSF, o presidente da Câmara de Castro Marim, Francisco Amaral, e, com a situação mais calma, é hora de contar os prejuízos. Francisco Amaral revela que já recebeu garantias por parte do Governo, de que os apoios vão chegar aos agricultores afectados pelas chamas.

"Já entrei em contacto com o Ministério da Agricultura, que prometeu , à semelhança do que fez com os incêndios de Monchique, Portimão, que aconteceram há pouco tempo, ajudas", diz o líder camarário, que fala de um cenário de desespero. Há "pessoas muito desesperadas" e "famílias completamente desesperadas porque perderam todas as economias que tinham". Entre os prejuízos, elencam-se também "as suas plantações, nomeadamente pinheiros, alfarrobeiras, amendoeiras".

Francisco Amaral aponta a situação de casais jovens que investiram todas as economias no negócio, e que viram "reduzido a cinzas todo o seu esforço de anos e anos".

"De um momento para o outro, viram desaparecer tudo", lamenta.

O pior já passou em Castro Marim, mas o fogo continua por dominar, agora em Tavira. Ao início da manhã, perto de 600 operacionais combatiam o fogo, que chegou também ao concelho de Vila Real de Santo António.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de