Juros da dívida sobem a dois e caem a cinco e 10 anos

Os juros a dois anos avançaram, para 0,417%, contra 0,389%, desta terça-feira, e o máximo desde abril de 2017, de 0,501%, em 6 de maio e o mínimo de sempre, de -0,814%, em 29 de novembro de 2021.

Os juros da dívida portuguesa estavam esta quarta-feira a subir a dois anos e a descer a cinco e a 10 anos, alinhados com os de Espanha e de Itália.

Às 08h25 em Lisboa, os juros a 10 anos recuavam para 2,155%, contra 2,162% na terça-feira e o máximo desde novembro de 2017, de 2,259%, em 6 de maio.

Neste prazo, os juros terminaram em terreno negativo nas sessões de 8, 11 e 15 de janeiro de 2020 e atingiram o atual mínimo de sempre, de -0,059%, em 15 de dezembro de 2020.

Os juros a cinco anos também baixavam, para 1,373%, contra 1,376% na terça-feira e o máximo desde julho de 2017, de 1,544% verificado em 6 de maio, depois de terem recuado para o atual mínimo de sempre, de -0,506%, em 15 de dezembro de 2020.

Em sentido contrário, os juros a dois anos avançavam, para 0,417%, contra 0,389% na terça-feira e o máximo desde abril de 2017, de 0,501%, em 6 de maio e o mínimo de sempre, de -0,814%, em 29 de novembro de 2021.

Os juros da Grécia subiam a dois anos, desciam a cinco anos e mantinham-se a 10 anos, enquanto os da Irlanda avançavam a dois e a cinco anos e recuavam a 10 anos.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de