STE quer subsídio de refeição de 10 euros

O Sindicato dos Quadros Técnicos do Estado (STE) apresentou esta segunda-feira ao Governo uma proposta para Administração Pública em 2020.

Cinco pontos mais um é o que o STE trás ao secretário de Estado da Administração Pública como contraproposta ao aumento de sete euros, oficialmente apresentado pelo Governo.

A sindicalista Helena Rodrigues assina um documento de sete páginas onde conclui que os funcionários públicos precisam de uma atualização das remunerações e da tabela remuneratória única (TRU) em 2%; atualização do valor do subsídio de refeição para 10 euros; fixação do valor do desconto para a ADSE em 2,5% da remuneração; eliminação imediata das quotas do Sistema Integrado de Gestão e Avaliação de Desempenho da Administração Pública (SIADAP); e reposição de três dias de férias" (para 25 dias úteis).

Propõem-se ainda "por ser da mais elementar justiça, a integração de uma cláusula no sentido de evitar que a atualização salarial proposta venha a provocar uma diminuição no salário em termos líquidos face ao atual, tal como aconteceu na proposta do Governo quanto ao aumento de 7 euros do nível 5 da TRU.

Para Helena Rodrigues "parece que o Excel é o mesmo do antigo ministro Gaspar, ainda não conseguimos sair disso. Neste momento com 0,3% de atualização a maioria dos trabalhadores vai receber menos remuneração" conclui.

Outras Notícias

Patrocinado

Apoio de

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de