Carlos César diz que Rio fala por "experiência própria" quando diz que PS "parte-se" sem Costa

O presidente do PS rejeitou ainda que o partido estivesse a dar um sinal sobre a sucessão de António Costa ao colocar, na mesa do congresso, ao lado do atual secretário-geral, quatro dos potenciais candidatos.

O presidente do PS, Carlos César, disse este sábado que o presidente social-democrata, Rui Rio, só podia estar a falar "por experiência própria" quando disse que sem o atual secretário-geral, António Costa, o PS "parte-se todo".

"Presumo que o líder da oposição diz isso por experiência própria, mas o PS tem evidenciado que é bem diferente", disse Carlos César aos jornalistas à chegada ao 23.º Congresso do Partido Socialista, em Portimão.

O presidente do PS reagiu às declarações de Rio em entrevista ao semanário Expresso, no final de julho, na qual disse que o PS "parte-se todo se ele [Costa]" sair".

Carlos César rejeitou ainda que o partido estivesse a dar um sinal sobre a sucessão de António Costa ao colocar, na mesa do congresso, ao lado do atual secretário-geral, quatro dos potenciais candidatos: Pedro Nuno Santos (ministro das Infraestruturas e da Habitação), Fernando Medina (presidente da Câmara de Lisboa (Ana Catarina Mendes (líder parlamentar) e Mariana Vieira da Silva (ministra de Estado e da Presidência) ao lado do atual secretário-geral.

"Não há nenhum sinal sobre essa matéria, mas admito que seja legítimo que quando estamos confrontados com uma fotografia façamos comentários sobre ela", sustentou.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de