Chega marchou sobre Évora mas ouviu cantar Grândola Vila Morena

O Chega marchou em Évora, mas quando entrou na Praça do Giraldo encontrou uma contramanifestação a cantar o Grândola Vila Morena.

André Ventura juntou centenas de apoiantes em território dominado pela esquerda contra o que diz ser a "hipocrisia do racismo para esconder a corrupção". O Chega marchou em Évora, mas quando entrou na Praça do Giraldo encontrou uma contramanifestação a cantar o Grândola Vila Morena.
"Diziam que não tínhamos coragem, que nos vergaríamos à esquerda. Estamos aqui para dizer que Évora também é nossa. Évora é Portugal e Évora também é do Chega", gritava Ventura a plenos pulmões, a partir da escadaria da igreja de Santo Antão, em plena Praça do Giraldo, onde acabava de entrar, liderando uma manifestação que juntou centenas de apoiantes.
Mas do outro lado da "sala de visitas" da cidade que é património mundial, Ventura tinha uma contramanifestação, que respondia à "boleia" da mais célebre música de Zeca Afonso. O Grândola Vila Morena ecoou durante todo o tempo (mais de meia hora) em que os apoiantes do Chega se concentraram na Praça do Giraldo devidamente distanciados dos manifestantes que estavam do outro lado da barricada. Pelo meio havia um rigoroso perímetro de segurança definido por um generoso gradeamento, reforçado com um forte aparato policial, com dispositivos de Évora, Beja e Lisboa.
Pelas ruas da cidade já André Ventura tinha agarrado no microfone para dizer ao que ia: "Contra a corrupção, fascismo é distração" e também "minorias com direitos têm de ter deveres", gritava à medida que percorria algumas ruas do centro histórico até a Praça do Giraldo, tendo passado à porta da sede do PSD.
Já sem a presença de André Ventura, os apoiantes do Chega mostravam a sua indignação face à contra-manifestação, onde eram exibidos improvisados cravos vermelhos de papel, adjetivando, enquanto se gritavam palavras de ordem contra o fascismo. "Chamarem-nos racistas e fascistas é uma ofensa para todas as pessoas deste país. Isto é uma aberração", lamentava um dos militantes, erguendo a bandeira nacional para perguntar se "todos os que ali estão trabalham ou vivem de algum subsídio?"
A manifestação do Chega traduziu ainda o "aquecimento" para a segunda convenção do partido que este sábado. Segundo André Ventura a reunião magna vai sublinhar o "renascimento do Chega como um partido de todo o país".

Recomendadas

Patrocinado

Apoio de