Costa reclama vitória: "PS continua a ser o primeiro partido autárquico"

Com 150 câmaras já garantidas, o líder socialista assinalou que esta é apenas a segunda vez que um partido consegue uma série de três vitórias.

O secretário-geral do PS afirmou este domingo que o seu partido venceu as eleições autárquicas de domingo, triunfando em cerca de 150 câmaras municipais, num total de 308, um resultado semelhante ao que alcançou em 2013.

"No conjunto nacional, o PS continua a ser o maior nos municípios e nas freguesias. O PS já tem neste momento 150 vitórias em municípios", declarou.

António Costa transmitiu esta posição na declaração inicial que fez sobre a noite eleitoral autárquica, na sede nacional do PS, em Lisboa, adiantando que ainda se encontram em aberto resultados em três municípios: Lisboa, Sintra e Loures.

No entanto, afirmou que o PS "continua a ser o maior partido autárquico nacional", vencendo as eleições pela terceira vez. Com 150 câmaras já garantidas, o líder socialista assinalou que esta é apenas a segunda vez que um partido consegue uma série de três vitórias. São, ainda assim, menos 15 do que há quatro anos.

"Os portugueses renovaram a sua confiança no Partido Socialista", assinalou Costa, que promete um partido "200% empenhado" e aproveita para assinalar que está prestes a chegar "um ponto de viragem na pandemia" quando forem atingidos os 85% da população com vacinação completa.

"Tivemos derrotas de que, naturalmente, não gostámos"

Questionado sobre se a vitória em Lisboa pode ser "poucochinha", Costa defendeu-se dizendo que "qualquer vitória em qualquer concelho" é boa para o partido. "Tivemos derrotas de que, naturalmente, não gostámos", reconheceu.

Sobre o peso de uma derrota em Lisboa, Costa assinalou que penaliza "qualquer partido" que a sofra e confessa uma tristeza "particular" se tal acontecer, dado que o próprio foi autarca.

"Ainda que perdêssemos as três câmaras por apurar, o PS continua a ser o maior partido autárquico", insistiu quando questionado sobre o que seria um bom resultado para os socialistas. "Houve dez câmaras onde praticamente não foram os nossos adversários que cresceram, só que eles juntaram-se", atirou também.

No caso específico de Lisboa, os votos perdidos pelo PS "não fortaleceram a coligação de direita, fortaleceram sim a CDU". Mas o abraço a Fernando Medina continua prometido "seja qual for o resultado".

Costa não esqueceu a Amadora e, num comentário dirigido à candidatura de Suzana Garcia, assinala que "candidatos populistas não têm espaço" no país.

"Manuel Machado foi um grande autarca"

Em resposta à TSF, questionado sobre a câmara de Coimbra, Costa assinalou que o PS "perdeu 27 câmaras para o PSD" - o que aconteceu na cidade dos estudantes - e garantiu que não escolheu o seu percurso de campanha tendo em conta projeções. "Já tive oportunidade de dar um grande abraço ao meu amigo Manuel Machado, foi um grande autarca", elogiou. "Na vida política temos de saber ganhar e saber perder."

Sobre a governação do país e a relação com o PCP, Costa disse acreditar que os partidos sabem que as autárquicas não devem confundir-se com esse processo. Por outro lado, garantiu, não vê "um reforço da alternativa política à direita".

Vitória de Rui Moreira "não é uma surpresa"

No Porto, a vitória do movimento de Rui Moreira "não é uma surpresa para quem quer que seja", pelo que António Costa não vê razões para que qualquer partido a festeje.

O PS confessa-se "triste" com a perda da câmara de Coimbra, mas Costa garantiu que a tristeza é a mesma que se aplicaria à perda de qualquer outra autarquia, como Lisboa.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de