Dezenas de militares recebem ministro em protesto e pedem demissão do chefe de Estado Maior do Exército

Os ânimos exaltaram-se, com apupos e assobios a João Gomes Cravinho, nas comemorações do Dia do Exército, em Aveiro, numa altura em que as Forças Armadas reforçam as exigências ao Governo.

O ministro da Defesa e o chefe de Estado Maior do Exército foram recebidos com fortes protestos, à chegada a Aveiro, para as comemorações do Dia do Exército.

Algumas dezenas de militares, alguns já fora do ativo, paraquedistas, fuzileiros e comandos, vaiaram os dois responsáveis e pediram a demissão do general José Nunes Fonseca, chefe de Estado Maior do Exército.

Estas forças especiais defendem que uma nota interna está a proibi-las de cantar o cântico tradicional dos paraquedistas, "Pátria Mãe", bem como de usar a boina verde e o crachá identificativo.

Um dos participantes neste protesto, paraquedista, ouvido pela RTP, deixou acusações ao líder do exército, e garantiu que o cântico vai mesmo ouvir-se este domingo em Aveiro: "O exército, infelizmente, não respeita os paraquedistas nem as operações especiais, como os fuzileiros e comandos, e querem calar-nos, mas não vão calar! Vamos até ao fim. Os nossos cânticos, as nossas marchas hão de se manter, sempre!"

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de