"É impossível não pensar que vamos ter um novo estado de emergência"

Primeiro-ministro garante que o Governo vai apreciar o prolongamento "se for essa a intenção do senhor Presidente da República".

O primeiro-ministro, António Costa, considerou esta quinta-feira ser "impossível não pensar que necessariamente" Portugal vai ter um novo estado de emergência, considerando que os dados da pandemia demonstram esta necessidade.

Na conferência de imprensa do Conselho de Ministros de hoje, António Costa foi questionado sobre se entendia que será necessário um novo estado de emergência, depois de ter dito que, no próximo Conselho de Ministros, o Governo terá a "oportunidade de apreciar, se for essa a intenção do senhor Presidente da República", a necessidade de o prolongar.

"Relativamente a novo estado de emergência, eu diria que é impossível não pensar que necessariamente vamos ter um novo estado de emergência. Os dados estão aí a demonstrá-lo", respondeu.

Costa recordou que teve a oportunidade de afirmar que, desta vez, "o estado de emergência conduziria seguramente a medidas menos intensas do que as da primeira, mas necessariamente mais prolongadas".

"Adotámos um critério distinto do da primeira fase que é ajustar as medidas à especificidade de cada território e por isso a modulação das medidas em função da gravidade da situação em cada território", explicou.

LEIA AQUI TUDO SOBRE O NOVO CORONAVÍRUS

Recomendadas

Patrocinado

Apoio de