"Ganhámos contra tudo e contra todos! Fez-se história." Moedas fez mesmo a festa em Lisboa

Novo presidente da Câmara da capital sublinhou, no discurso de vitória, que "a democracia não tem dono".

Em momento de total euforia, Carlos Moedas começou o discurso de vitória mais aguardado da noite eleitoral a agradecer a Lisboa, a Rui Rio, Francisco Rodrigues dos Santos e mostrou-se orgulhoso por ganhar "contra tudo e contra todos".

"Em primeiro lugar queria cumprimentar todos os candidatos. Uma palavra muito especial para Fernando Medina, com quem falei. Desejei-lhe o melhor para a sua vida pessoal e profissional. Isto é muito importante porque a democracia é isso mesmo. Fizemos história, fez-se história hoje em Lisboa. Não tenho palavras para agradecer o voto de confiança que me foi dado pelos lisboetas. Comprometo-me, lisboetas, não vamos falhar. Vamos mudar Lisboa, acreditem", garantiu o social-democrata.

Para o novo autarca de Lisboa, esta campanha provou que é possível mudar o sistema porque "a democracia não tem dono" e os lisboetas disseram, "em alto e bom som", que querem mudança.

"Queriam convencer-nos que esta mudança não ia acontecer, mas aconteceu porque os lisboetas assim o quiseram. Hoje iniciamos um novo ciclo, novos tempos, e eu acredito profundamente que este novo ciclo começa em Lisboa, mas não vai acabar em Lisboa", atirou o cabeça de lista da coligação PSD/CDS-PP/MPT/PPM/Aliança à Câmara de Lisboa.

Pouco depois das 2h30, hora a que chegou à sala do hotel EPIC SANA, no Marquês de Pombal, o local escolhido para acompanhar a noite eleitoral, e num ambiente de grande euforia, entre gritos de "Lisboa", "vitória" e "presidente", Moedas prometeu dar um futuro "aos jovens lisboetas", que quer que voltem a sonhar na capital.

"Vamos dar esse futuro aos jovens lisboetas. Apostei tudo na esperança de que a política está a mudar e quer políticos diferentes. Por isso estou aqui e os lisboetas disseram que sim a essa nova maneira de fazer política, disseram sim ao futuro e não se resignam. Querem liberdade e merecem estar na liga dos campeões das cidades europeias, é isso que vamos fazer. Vamos trabalhar, não vamos falhar. Lisboa quis mudança, vamos conseguir e trabalhar juntos. Dizemos com humildade e convicção que vamos conseguir mudar Lisboa", prometeu o ex-comissário europeu.

Referindo não ter palavras para agradecer o "voto de confiança" que lhe foi dado pelos lisboetas, Carlos Moedas comprometeu-se a ser o presidente de todos, com a missão de "unir" e "mudar Lisboa", que é o seu "projeto de vida".

"Lisboa é o meu projeto de vida. Pode ser uma das maiores cidades da Europa. Uma cidade que atrai os mais jovens e os empreendedores. Sou presidente da Câmara e tenho experiência de trabalhar com todos os partidos, com várias cores políticas. A vitória é de todos os lisboetas que votaram em mim, da coligação Novos Tempos e do trabalho que fizemos em conjunto. Não é a vitória de um partido específico", explicou o social-democrata.

Nestas eleições concorreram à presidência da Câmara de Lisboa Fernando Medina (coligação PS/Livre), Carlos Moedas (coligação PSD/CDS-PP/PPM/MPT/Aliança), Beatriz Gomes Dias (BE), Bruno Horta Soares (IL), João Ferreira (CDU - coligação PCP/PEV), Nuno Graciano (Chega), Manuela Gonzaga (PAN), Tiago Matos Gomes (Volt), João Patrocínio (Ergue-te), Bruno Fialho (PDR), Sofia Afonso Ferreira (Nós, Cidadãos!) e Ossanda Liber (movimento Somos Todos Lisboa).

LEIA AQUI TUDO SOBRE AS ELEIÇÕES AUTÁRQUICAS

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de