Garantido o primeiro orçamento de Moedas em Lisboa

O PS vai abster-se e Carlos Moedas tem caminho aberto para aplicar a proposta de orçamento em 2022. Mas há quem vote contra.

O primeiro orçamento da era Moedas, na Câmara de Lisboa, já tem garantida a viabilização.

O Partido Socialista anunciou que vai abster-se na votação.

O vereador João Paulo Saraiva, explicou esta tarde à TSF, que é uma posição de princípio, para respeitar a vontade dos eleitores, mesmo que o PS não concorde com muitas orientações do orçamento apresentado pelo executivo.

A posição hoje anunciada respeita apenas aos elementos do PS no executivo municipal. Ou seja, 5 vereadores.

A posição do partido, quando o documento chegar à assembleia municipal, será motivo de outra avaliação do partido.

A TSF falou também esta tarde com a vereadora Paula Marques, do movimento Cidadãos por Lisboa, que juntamente com Rui Tavares, do Livre, foram eleitos numa coligação eleitoral com o PS.

As críticas de Paula Marques em relação ao orçamento são no mesmo sentido das feitas pelo PS, mas a conclusão é diferente: a vereadora vai votar contra.

A vereadora do movimento Cidadãos por Lisboa, considera que seria melhor que o executivo minoritário sujeitasse uma a uma, algumas medidas com impacto orçamental, para garantir que elas fossem viabilizadas.

A TSF perguntou a Bloco de Esquerda, PCP e Livre, os partidos da oposição, como eleitos no executivo municipal de Lisboa, qual o sentido de voto que vão manifestar.

Até agora, não houve resposta dos respetivos vereadores.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de