Governo oferece proteção policial especial às três deputadas ameaçadas

Bloco de Esquerda não confirma nem desmente que as deputadas Mariana Mortágua e Beatriz Gomes Dias tenham recebido a oferta de proteção.

O Governo, que nas últimas horas admitiu que existe um nível elevadíssimo de ameaça racista e de ódio em Portugal, ofereceu proteção policial especial às três deputadas que foram ameaçadas pela extrema-direita.

Duarte Cordeiro, secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, confirma ao jornal Público que foi o intermediário dessa oferta, mas remete qualquer esclarecimento para o Ministério da Administração Interna.

O Bloco de Esquerda, em declarações ao mesmo jornal, não confirma nem desmente que as deputadas Mariana Mortágua e Beatriz Gomes Dias tenham recebido a oferta de proteção. A palavra de ordem no Bloco é para não fazer qualquer comentário numa altura em que o Ministério Público já abriu um inquérito crime a este caso.

Mamadou Ba, do SOS racismo e um dos alvos das ameaças, já foi ouvido pela Polícia Judiciária na sequência da parada da extrema-direita à porta da sede da instituição. Revelou que, na quarta-feira, pediu proteção policial, mas ainda não teve resposta.

Os restantes ativistas que também foram ameaçados pediram todos proteção da PSP, acrescenta o Jornal de Notícias. Dois deles - Vasco Santos, do Movimento Alternativa Socialista, e Jonathan da Costa, da Frente Unitária Antifascista -, citados pelo JN, dão conta da apreensão que estas ameaças sem precedentes e confirmam que, apesar do pedido, ainda não foram contactados pela polícia.

A Polícia Judiciária e as Secretas já estão a investigar o caso. Com as medidas de proteção, a polícia pode passar a estar mais presente nos bairros em que estas pessoas vivem ou passar a dar proteção pessoal, mas há também a possibilidade de uma maior vigilância aos suspeitos de serem os autores das ameaças.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de