"Iniciamos a construção de uma nova normalidade." Siza Vieira pede prudência

O teletrabalho continua a ser obrigatório durante o mês de maio.

O ministro da Economia anunciou esta quarta-feira no Parlamento que no próximo dia 4 de maio os portugueses continuam a "manter um dever cívico de recolhimento". Pedro Siza Vieira anunciou o calendário do Governo para um desconfinamento progressivo, assente em três datas, separadas por 15 dias.

Durante o mês de maio, o teletrabalho continua a ser obrigatório, apesar da reabertura de alguns espaços. O comércio com até 200 metros quadrados de área e acesso à rua voltam a abrir portas já na próxima segunda-feira, tal como as bibliotecas e os arquivos, de acordo com Siza Vieira.

O governante assume que "não é o regresso à normal vida comunitária, é o início de uma nova fase num trajeto longo, na construção de uma nova normalidade". Na segunda quinzena o Governo vai avaliar as condições para abrir os espaços de restauração e cafés, ainda que com limitações.

As escolas passarão a ter atividades letivas presenciais para 11.º e 12.º a partir de 18 de maio, bem como as creches. Ainda assim, o apoio social às famílias vai ser prolongado até ao final do mês. A abertura do pré-escolar está marcada para 1 de junho.

Siza Vieira revelou ainda que em junho, se as condições permitirem, a obrigatoriedade de teletrabalho será levantada gradualmente. Todos os espaços comerciais também vão voltar a abrir portas.

"É um caminho exigente que obriga uma ação disciplinada dos portugueses para manter a pandemia controlada". Encaramos agora esta nova fase com a mesma confiança com que verificamos o comportamento dos portugueses durante o confinamento.

Os museus e as galerias de arte reabrem a 18 de maio. Já os cinemas, teatros e salas de espetáculo têm reabertura marcada para o final do mês, ainda que com limitações na lotação.

Na próxima segunda-feira, a prática de desportos individuais ao ar livre também será permitida, sem a utilização de balneários nem piscinas. No final do mês, a competição profissional na primeira liga de futebol pode ser retomadas, tal como a realização da final da Taça de Portugal.

O ministro da Economia adianta que o Governo encara a nova fase com a mesma confiança, tendo em conta o comportamento dos portugueses durante o confinamento. Ainda assim, lembra que este "é um caminho exigente que obriga uma ação disciplinada dos portugueses para manter a pandemia controlada".

As deslocações devem, por isso, continuar limitadas ao estritamente necessário e nos transportes públicos a utilização de máscara pelos passageiros é obrigatória.

Recomendadas

Patrocinado

Apoio de