"Não querem mudar nada!" Rio acusa PS de incoerência com abstenção na mudança do Constitucional para Coimbra

Rui Rio respondeu ainda às críticas de eleitoralismo feitas pelos socialistas, pelo facto de a proposta ser levada a votação em tempo de campanha para as autárquicas.

O presidente do PSD, Rui Rio, acusa o Partido Socialista (PS) de não querer mudar nada, ao anunciar que se vai abster perante a proposta do PSD de transferir a sede do Tribunal Constitucional de Lisboa para Coimbra.

Esta manhã, no Fórum TSF, o PS revelou que não irá votar favoravelmente a proposta apresentada pelo PSD, acusando o partido de Rio de eleitoralismo, por levar o diploma a votação em tempo de campanha para as eleições autárquicas.

Perante o anúncio feito pelos socialistas, o líder do PSD acusa o PS de "incoerência", por defender sempre que é a favor da descentralização, mas, quando chega "a hora da verdade", não votar a favor das medidas que a concretizariam.

"A esmagadora maioria do país entende que o país não pode estar todo concentrado na capital. Está a toda a gente a dizer isto, e depois, na hora da verdade, de "chutar à baliza", como se costuma dizer, há sempre desculpas! Não querem nada!", atirou Rui Rio, em declarações à TSF.

"Se [o PS] se abstém e anda a fazer críticas, incoerente com tudo o que aqui no passado disse, significa que agora, na votação na generalidade, deixa passar, para parecer que está a favor. Depois, vota a favor, se houver uns ajustamentos, ou então vai abster-se por causa das eleições e depois vai derrotar isto mais uma vez e o país não sai da cepa torta e o Partido Socialista não quer mudar nada de nada", acrescentou.

Em relação à sugestão de que o PSD se aproveitou para fazer campanha eleitoral e levar ao Parlamento uma proposta com o intuito de ganhar votos na candidatura à autarquia de Coimbra, o presidente social-democrata responde que o timing da votação se deveu aos atrasos causados pela pandemia de Covid-19.

"Aquilo que era a nossa ideia, ao apresentar [a proposta] em setembro do ano passado, era agendar na sessão legislativa (...). A Covid não permitiu nada disso, baralhou tudo. (...) Está a começar esta sessão legislativa e temos imediatamente [a votação] que gostaríamos de já ter tido há quatro meses", alegou Rio.

O PSD anunciou, há um ano, a intenção de levar a votos no Parlamento a transferência da sede do Tribunal Constitucional e do Supremo Tribunal Administrativo para a cidade de Coimbra até 2022.

No documento, o partido justificava que Coimbra, "pela sua centralidade geográfica e pela sua indelével característica de cidade universitária e representatividade no plano nacional e internacional, no ensino do Direito", é o local que "reúne condições ímpares para acolher" as sedes destas duas instituições.

A votação do diploma na Assembleia da República acontece esta sexta-feira.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de