Ponto final nos Açores. Chega rompe acordo de governação e ataca PSD

A decisão foi anunciada esta tarde, no Parlamento, pelo líder do Chega, André Ventura.

É o fim da linha nos Açores. O acordo de governação entre o PSD e o Chega no arquipélago acabou. O anúncio da decisão unilateral da direção nacional do partido foi feito pelo próprio André Ventura, em Lisboa. Contudo, o líder do Chega sublinhou que a opção final será da responsabilidade da estrutura regional.

Em conferência de imprensa, André Ventura diz "basta", sublinhando que "foram semanas consistentes e contínuas de ataque ao programa do Chega, à sua natureza, ao seu presidente e aos seus militantes".

"Foram semanas e semanas, após avisos, denúncias e confrontações em que Rui Rio optou por manter o nível de confronto, de hostilização e de humilhação do Chega. Não é possível haver dois PSD nem é possível haver dois Chega. Ou há linhas de uma plataforma de entendimento ou há linhas de absolutamente nada e o caminho a que chegamos é de que há linhas de absolutamente nada", acrescenta.

O líder do Chega acrescenta que o partido "retirar-se-à segundo sugestão da direção nacional do governo regional dos Açores do seu apoio do quadro parlamentar que neste momento existe na região autónoma e faz o seu caminho para as legislativas de 2030 com a convicção plena de que nenhum acordo será possível alcançar com o PSD".

Contactado pela TSF, José Pacheco, deputado único do Chega nos Açores, disse que a sua decisão será conhecida na próxima sexta-feira, em conferência de imprensa, adiantando que, neste momento, está "em conversações", sendo que "está tudo em aberto".

Notícia atualizada às 17h48.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de