PS ainda sobe mas Rui Rio recupera na campanha

A primeira sondagem diária TSF/JN/TVI sobre as eleições legislativas mostra que Rui Rio saiu favorecido depois do debate com António Costa.

Foi logo a seguir ao frente a frente televisivo entre Rui Rio e António Costa que começou o trabalho de campo desta sondagem diária. Durante quatro dias, entre 17 e 20 de setembro, ontem, foi feita a avaliação do desempenho dos partidos e dos líderes durante estes dias de pré-campanha. O saldo é mais favorável para o líder do PSD do que para António Costa.

Rui Rio tem um saldo positivo de cerca de 18 pontos percentuais (pp), depois de feitas as contas entre as avaliações positivas e negativas. 29,3 por cento dos inquiridos consideram que Rio melhorou, entre eles eleitores do PSD CDS e Bloco; cerca de 11 % dizem que piorou e para pouco mais de metade dos inquiridos, o líder do PSD manteve a avaliação.

Já depois de lerem, verem e ouvirem entrevistas, notícias e debates com António Costa, (e a última semana incluiu o chamado caso das golas antifumo que resultou na demissão do secretário de Estado da Proteção Civil), os inquiridos nesta sondagem, dão saldo negativo ao Secretário-Geral do PS: cerca de 16% consideram que António Costa piorou na exposição mediática, 8% defendem que ele melhorou, logo saldo negativo de -8,6 pp.

Em relação aos resultados à última sondagem, na semana passada, é o PSD quem mais sobe depois de distribuídos os indecisos. O partido de Rui Rio sobe 3,3 pp está agora com 26,6% de intenções de voto e aproxima-se do PS que reforça a liderança: os socialistas registam agora 40,6% de intenções de voto (registava 39,2%)

Em terceiro, o Bloco de Esquerda desce de 10% para 8,8%. A CDU também tem um recuo de 7,7 para 6,8%. O CDS, em quinto nesta sondagem, desliza dos 5,6% para os 5,2. O PAN sobe umas décimas: de 3,2% para 3,6%.

Certo é que grande maioria dos inquiridos rejeita uma maioria absoluta: mais de 60% são desfavoráveis, apenas cerca de 30% a deseja.

Ficha técnica

Durante 4 dias (17 a 20 de Setembro 2019) foram recolhidas diariamente pela Pitagórica para a TVI, o JN e a TSF uma sub-amostra de 150 entrevistas representativa do universo eleitoral português (não probabilístico) tendo por base os critérios de género, idade e região. O resultado do apuramento dos 4 últimos dias de trabalho de campo, implica uma amostra 600 indivíduos que para um grau de confiança de 95,5% corresponde a uma margem de erro máxima de ±4,07%.

A seleção dos entrevistados foi realizada através de geração aleatória de números de "telemóvel" mantendo a proporção dos 3 principais operadores identificados pelo relatório da ANACOM, sempre que necessário são selecionados aleatoriamente números fixos para apoiar o cumprimento do plano amostral. As entrevistas são recolhidas através de entrevista telefónica (CATI - Computer Assisted Telephone Interviewing).

O estudo tem como objetivo avaliar a opinião dos eleitores Portugueses, sobre temas relacionados com as eleições, nomeadamente os protagonistas, os momentos da campanha bem como a intenção de voto nos vários partidos.

A taxa de resposta foi de 60,06% e a direção técnica do estudo é da responsabilidade de Rita Marques da Silva. A Ficha técnica completa bem como todos os resultados foram disponibilizados junto da Entidade Reguladora da Comunicação Social que os disponibilizara oportunamente para consulta online.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de