Banco Alimentar recolhe donativos até 6 de junho. Saiba como ajudar

Pandemia forçou muitas famílias a pedir ajuda pela primeira vez. Isabel Jonet apela à solidariedade dos portugueses.

O Banco Alimentar Contra a Fome promove uma campanha nacional de recolha de alimentos entre esta quinta-feira e 6 de junho através de vales disponíveis nos supermercados e de donativos 'online', anunciou a instituição.

A iniciativa decorre através da Ajuda Vale e do site alimentestaideia.pt, uma vez que as medidas de segurança relacionadas com a pandemia de Covid-19 ainda impedem a realização da tradicional recolha de alimentos com voluntários, segundo a organização.

Em declarações à TSF, Isabel Jonet, presidente da Federação Portuguesa dos Bancos Alimentares Contra a Fome, sublinha que há cada vez mais pedidos de ajuda de famílias que nunca imaginaram ter que pedir ajuda.

"Aquilo que queremos é que estas famílias não percam a esperança, que tenham alimento à sua mesa e que possam reencontrar a autonomia de que necessitam e que muitas vezes tinham antes da pandemia."

Sob o lema "À nossa mesa há sempre lugar para mais um", a campanha visa sensibilizar a população para contribuir "no apoio a famílias que vivem situações de carência alimentar todos os dias".

A participação pode ser feita através da modalidade Ajuda Vale, já utilizada em campanhas anteriores, e que assenta na contribuição através de vales de produtos disponíveis até 31 de maio nas caixas dos supermercados.

Cada vale tem um código de barras específico associado aos produtos que se pretendam doar. O Banco Alimentar disponibiliza igualmente o portal de doação online alimentestaideia.pt, onde se podem escolher bens perecíveis para doar.

De acordo com os dados da Federação Portuguesa dos Bancos Alimentares Contra a Fome, no ano passado, os 21 Bancos Alimentares em atividade em Portugal distribuíram 29.474 toneladas de alimentos (com o valor estimado de 41,2 milhões de euros), num movimento médio de 165 toneladas por dia útil.

Em parceria com cerca de 2.700 instituições e entidades, que operam no terreno, acompanhadas pelo Banco Alimentar da respetiva região, os bens recolhidos contribuíram para a alimentação de 450.000 pessoas "com carências comprovadas", sob a forma de cabazes ou de refeições confecionadas.

O Banco Alimentar foi criado em Portugal, em 1991. Atualmente, existem 21 Bancos Alimentares nas zonas de Abrantes, Algarve, Aveiro, Beja, Braga, Castelo Branco, Coimbra, Cova da Beira, Évora, Leiria-Fátima, Lisboa, Madeira, Zona Oeste, Portalegre, Porto, São Miguel, Santarém, Setúbal, Terceira, Viana do Castelo e Viseu.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de