Carga de polpa de morango dissimulava 400 quilos de cocaína em Sines

A droga foi apreendida pela Polícia Judiciária.

Os 400 quilos de cocaína apreendidos pela Polícia Judiciária (PJ) no porto de Sines estavam no interior de um contentor proveniente do Brasil dissimulados numa carga de polpa de morango, segundo as autoridades.

Numa conferência de imprensa realizada esta quinta-feira no Porto, o diretor da PJ/Norte escusou-se a adiantar o valor da droga apreendida, mas garantiu ser milionário. "São seguramente muitos milhões", disse Norberto Lopes.

Acrescentou que o valor comercial concreto da cocaína depende dos locais onde for vendida e da forma como for "traçada" - ou sejam misturada, de forma a atenuar o seu "elevado grau de pureza".

A droga foi apreendida na terça-feira e no âmbito da operação com o nome de código "Vento Norte", que se saldou ainda pela detenção de seis alegados traficantes internacionais de droga - quatro espanhóis e dois portugueses, com idades entre 20 e 51 anos, tidos como "figuras proeminentes na hierarquia da referida rede criminosa".

Com esta apreensão e estas detenções, efetuadas na sequência de uma investigação iniciada em abril, a PJ acredita ter dado "um duro golpe" na estrutura de tráfico internacional que os seis homens liderariam.

A operação "Vento Norte", desenvolvida pela Secção Regional de Combate ao Tráfico de Estupefacientes da Diretoria do Norte da PJ, foi articulada com a Unidade Nacional de Combate ao Tráfico de Estupefacientes e contou com a colaboração da Autoridade Tributária.

Recomendadas

Patrocinado

Apoio de