Cofina a averiguar com autoridades "problemas técnicos" que afetaram sites

Grupo de media salientou que "em nenhum momento, os sistemas da Cofina Media ou do seu site institucional estiveram indisponíveis".

Os sites dos vários títulos da Cofina Media estiveram este domingo inacessíveis durante várias horas devido a "problemas técnicos", estando "a averiguar, em conjunto com as autoridades", o que motivou esta situação, informou o grupo em comunicado.

"Os sites dos meios detidos pela Cofina Media estiveram, durante uma parte da noite e da manhã, inacessíveis devido a problemas técnicos que motivaram a sua indisponibilidade. A Cofina Media encontra-se, em conjunto com as autoridades, a averiguar a origem que motivou esta indisponibilidade", lê-se no comunicado.

Salientando que, "em nenhum momento, os sistemas da Cofina Media ou do seu site institucional (cofina.pt) estiveram indisponíveis", o grupo garante: "Independentemente da origem que venha a ser apurada, os dados dos assinantes dos nossos títulos, bem como os dados dos nossos jornalistas, nomeadamente 'emails', estiveram sempre salvaguardados".

Entretanto, os 'sites' afetados têm vindo a ser progressivamente reativados desde o início da tarde deste domingo.

"Quer o Record, quer o Correio da Manhã, a CMTV, a Sábado e o Jornal de Negócios já estão 'online' desde o início da tarde. Os demais títulos passarão a estar disponíveis nas próximas horas", avança a Cofina, agradecendo "a todos os seus trabalhadores e parceiros a colaboração dada neste momento difícil".

Fonte oficial da Polícia Judiciária (PJ) tinha já avançado este domingo à agência Lusa estar a investigar uma "situação que tem a ver com eventual ataque informático" ocorrido durante a madrugada aos 'sites' do grupo de comunicação social Cofina.

Segundo a mesma fonte, a Unidade Nacional de Combate ao Cibercrime e à Criminalidade Tecnológica (UNC3T) da PJ está já a investigar o sucedido e a "avaliar os indicadores" que podem levar aos autores do ataque.

Na rede social Twitter de alguns dos títulos afetados leu-se, durante várias horas, a mensagem: "Por motivos técnicos, o 'site' [...] encontra-se indisponível. Prometemos ser breves para podermos continuar a levar até si toda a informação".

De momento, segundo revelou a fonte da PJ, ainda "não está comprovado" que o ataque informático tenha sido causado pela organização Lapsus$, os 'hackers' que em janeiro atacaram o grupo Impresa, nomeadamente o Expresso e a SIC, impossibilitando-os de publicarem notícias nas redes sociais durante dias.

O Público 'online' adiantou, contudo, que poucos minutos após a falha no grupo de Telegram dos Lapsus$ foi destacada a publicação feita pelo Correio da Manhã, que refere "problemas técnicos" para a indisponibilidade da página na internet.

A fonte da PJ reconheceu que a cibercriminalidade tem aumentado de forma exponencial e apelou à adoção de medidas de segurança informáticas, incluindo medidas de redundância informática e utilização interna de credenciais e 'passwords' para evitar este e outros tipos de ataque.

No comunicado hoje divulgado, a Cofina nota que esta "indisponibilidade 'online' acontece no dia seguinte à CMTV ter atingido o seu máximo de audiência diário desde a sua criação, ao atingir 10,7% de 'share diário', assegurando o terceiro lugar nas audiências de televisão em Portugal, com o CM Jornal, emitido em horário nobre, a ter, segundo a GFK, atingido 13,5% de quota de mercado".

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de