Críticas a Rangel, Rendeiro "não merece crédito" e outros destaques TSF

Também para ler ao meio-dia, o processo de vacinação em centros de saúde, as negociações no Irão para tentar salvar o acordo de 2015, o "acidente" que provocou o desastre do submarino Kursk em 2000 e aviso amarelo devido à queda de neve em cinco distritos.

A TSF iniciou esta semana um ciclo de curtas entrevistas diárias com notáveis do PSD, partido cujas diretas se realizam no próximo sábado. Esta terça-feira, o convidado foi Ângelo Correia. O histórico deputado constituinte do PSD em várias legislaturas não tem dúvidas de que "Rio não tem comparação, em termos de liderança, com Rangel". Em entrevista emitida na Manhã TSF, o antigo presidente do Congresso do PSD e vice-presidente da Comissão Política Nacional acusou o eurodeputado candidato a líder dos sociais-democratas de não ser um líder.

Na ordem do dia está também João Rendeiro que, em entrevista à CNN Portugal, garantiu só voltar a Portugal "se for ilibado ou com indulto do Presidente [da República]". À TSF, Adão Carvalho, presidente do sindicato dos magistrados confessou não entender as razões para se ouvir o ex-banqueiro, que "não deve merecer crédito". "Foram cumpridos aqueles que são os procedimentos normais neste tipo de situações. Há um mandado internacional pendente", explicou o representante dos magistrados.

Ainda em destaque está a vacinação contra a gripe sazonal e a dose de reforço contra a Covid-19. O presidente da Câmara de Vila Nova de Gaia sublinha que os centros de vacinação são uma solução transitória e os centros de saúde não podem continuar alheados deste processo. Já o Sindicato dos Enfermeiros Portugueses concorda com a reabertura dos centros de vacinação.

A uma semana do recomeço das negociações para tentar salvar o acordo de 2015, entre o Irão e o Ocidente, o diretor da Agência Internacional para a Energia Atómica está em Teerão. Rafael Grossi tem encontro marcado com as autoridades iranianas, com o objetivo de abrir caminho para essas conversas, em Viena, na próxima segunda-feira. Ouvido pela TSF, António Martins da Cruz, embaixador e antigo ministro dos Negócios Estrangeiros, espera uma reunião muito difícil, até porque os obstáculos são inúmeros.

Um almirante russo aposentado alegou que o desastre do submarino Kursk em 2000 foi provocado por uma colisão com um submarino da NATO. O antigo almirante Vyacheslav Popov, que era o comandante da Frota do Norte da Rússia quando o Kursk explodiu e afundou durante manobras navais no mar de Barents, afirmou, numa entrevista, que o submarino da Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO) colidiu, de forma acidental, com o Kursk.

Por fim, o Instituto Português do Mar e da Atmosfera colocou os distritos de Bragança, Castelo Branco, Guarda, Vila Real e Viseu sob aviso amarelo devido à previsão de queda de neve.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de