"Encerramento encapotado de fronteiras." Comerciantes de Elvas contestam restrições à circulação

Restrições a deslocação entre concelhos impedem os clientes espanhóis de frequentarem os estabelecimentos comerciais portugueses.

As restrições impostas à circulação automóvel durante cinco dias são encaradas pelos comerciantes em Elvas como um "encerramento encapotado das fronteiras". É que os cidadãos estrangeiros que não possuam declaração que contemple as exceções previstas pelo Conselho de Ministros não poderão entrar em qualquer concelho português. Ou seja, os espanhóis que tentem entrar em Portugal a partir de sexta-feira, pela fronteira terrestre, sem uma declaração justificativa, vão ter que dar meia volta e regressar ao seu país. As restrições à circulação entre concelhos impedem-nos de seguirem viagem, como já confirmou a TSF junto de fonte do Conselho de Ministros.

"Aos cidadãos não residentes em território nacional continental aplicam-se, com as devidas adaptações, as mesmas exceções previstas", segundo se lê do decreto, o que, para o presidente da Associação Empresarial de Elvas, João Pires, traduz, na prática, mais um fecho de fronteiras.

"É um fecho encapotado, mas é um novo fecho", diz o dirigente, alegando que, se os espanhóis precisam de autorização para entrarem em Elvas, "deixam de poder fazer a sua visita, a sua compra ou ir ao restaurante."

João Pires sublinha que numa cidade de fronteira, onde o número de visitantes espanhóis é tão relevante para a economia local, esta restrição "vai afetar o negócio do lado de cá".

O fim de semana perspetivava-se "generoso" para com os comerciantes da linha de fronteira, até porque na vizinha Espanha o feriado de 1 de novembro, por coincidir com o domingo, transita para segunda-feira.

"Mais uma vez saímos lesados disto, porque o nosso Governo, muitas vezes, esquece-se de que nós temos fronteira. A fronteira não é só marítima, também é terrestre", sublinha o mesmo dirigente. "Vivem aqui pessoas, que têm negócios com esta tipologia de cliente que está aqui ao lado. Por vezes, também é uma questão de bom senso", resume.

Por seu lado, os portugueses que vivem nos concelhos fronteiriços terão acesso a Espanha, sujeitando-se às medidas impostas pelo país vizinho em tempo de pandemia. Por exemplo, na Estremadura espanhola, passou a vigorar o recolher obrigatório entre as 0h00 e as 6h00.

Recomendadas

Patrocinado

Apoio de